Curiosidades

Raul Pereira e APMGF alertam população e profissionais para a temática da dor

(c) Direitos reservados

Celebra-se hoje, 15 de outubro, o Dia Nacional de Luta contra a Dor, jornada que pretende sensibilizar profissionais do setor da saúde e a população em geral para a importância de não descurar este 5º sinal vital, que pode ser também em determinadas circunstâncias uma patologia em si mesma, quando revestido de cronicidade. “A dor crónica atinge 1 em cada 3 portugueses, o que a torna uma das patologias que mais incapacita para o trabalho, para a vida familiar e para o bem estar global de muitos dos nossos utentes”, assegura Raul Marques Pereira, médico de família na USF Lethes (onde coordena a consulta de dor crónica) e coordenador do Grupo de Estudos de Dor da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF).

O representante sublinha ainda a importância do Folheto com o Inventário
Resumido de Dor disponibilizado aqui
nesta data pelo grupo de estudos, um instrumento de suporte à prática clínica que se pode revelar fundamental para qualquer especialista de Medicina Geral e Familiar (MGF): “no sentido de ajudar os médicos de família e para marcar o Dia Nacional de Luta contra a Dor, o Grupo de Estudos de Dor criou um folheto com uma das ferramentas mais importantes
para a avaliação da Dor – o Inventário Resumido de Dor. Esperamos poder
contribuir para fazer mais e melhor pela avaliação da dor, na linha do crescimento constante da Medicina Geral
e Familiar”.
Recorde-se que Raul Pereira desenvolve as suas consultas da dor no hospital da Misericórdia de Vila Verde.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo