Guimarães

Programa Bairros Saudáveis responde às necessidades do território em Guimarães

(c) Município de Guimarães

O Presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, destacou as respostas criadas no âmbito do programa “Bairros Saudáveis” e apela à participação das instituições da Rede Social. “Existe a possibilidade de formalizar candidaturas através deste programa do IEFP com uma amplitude significativa nas áreas abrangidas, que até podem ser complementadas com outros programas municipais e gostaria de ver os projetos de Guimarães neste concurso”, salientou Domingos Bragança, na reunião do Conselho Local da Ação Social (CLAS), que decorreu esta sexta-feira.

O Programa Bairros Saudáveis é um programa público, de natureza participativa, para melhoria das condições de saúde, bem-estar e qualidade de vida em territórios vulneráveis. Destina-se a pequenas intervenções, através do apoio a projetos apresentados por associações, coletividades, organizações não governamentais, movimentos cívicos e organizações de moradores, em articulação com as autarquias, as autoridades de saúde ou demais entidades públicas. Visa sobretudo dar algum poder, no sentido de “poder fazer”, a comunidades residentes e pessoas ou organizações intervenientes em territórios vulneráveis, segundo a Delegada Regional do Norte na IEFP, Carla Vale, que participou nesta reunião por videoconferência.

A reunião do CLAS contemplou ainda uma análise à situação do programa MAREESS no concelho de Guimarães e ainda do Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas, assim como a apresentação dos projetos de Inovação social aprovados para o território de Guimarães. Foi ainda aprovado por unanimidade as alterações aos projetos Estação Guimarães Norte e Estação Guimarães Sul, no âmbito do CLDS.

Esta sessão contou ainda com a intervenção do Diretor Distrital da Segurança Social, João Ferreira, que evidenciou o papel da autarquia de Guimarães como “um parceiro bastante forte na resposta que está a dar no terreno ao problema da pandemia”. João Ferreira apontou o exemplo da realização de testes de rastreio à COVID-19 aos funcionários dos lares e apontou a criação de Brigadas no apoio às instituições sociais.

A Vereadora da Ação Social, Paula Oliveira, mencionou uma vez mais o reconhecimento do amplo trabalho da Rede Social e a articulação com diversas instituições. “Existe em Guimarães um trabalho em rede onde foi possível responder no terreno e na hora, todos os dias da semana, graças ao empenho abnegado de todos os parceiros da Rede Social. Ainda recentemente criámos a estrutura de retaguarda para dar resposta a doentes que não tinham retaguarda familiar ou condições para cumprir o isolamento profilático, libertar um pouco a pressão no Hospital de Guimarães”, salientou a Vereadora da Câmara de Guimarães.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo