Vila Verde

José Morais apela a Vilela que pare ação de despejo de família em Parada de Gatim

(c) Direitos reservados

Em comunicado ao Semanário V José Morais, vereador do PS de Vila Verde, veio falar do caso do despejo que a Câmara Municipal acionou sobre uma família de Parada de Gatim que vive em habitação social sem condições, tal como noticiou o Semanário V. Escreve José Morais, “Hoje, quero mostrar-vos o estado lastimável em que se encontra uma das habitações sociais que a câmara de Vila Verde tem em Parada de Gatim. A humidade é tanta que o teto já caiu. Num dia como hoje, a agua da chuva é recolhida com baldes. Isto é inaceitável. Aqui vive uma família com dois filhos, cuja saúde está permanentemente posta em risco. São pessoas de carne e osso que merecem ter um lar digno. A câmara deixou a casa chegar a este estado de degradação. E para cúmulo, agora, quer expulsar a família que aqui vive por, alegadamente, ter rendas em atraso”.

“Família pagou as rendas até surgirem os problemas”

Acrescenta José Morais que “esta família pagou sempre a renda até surgirem graves problemas de humidade, os quais levaram, inclusive, a que o teto lhes caísse em cima. A câmara, apesar de ter sido alertada várias vezes para a situação, nada fez. “Em desespero, por protesto com a situação degradante em que vive e por ninguém resolver a situação esta família deixou de pagar as rendas até que lhe resolvessem o problema”.

 

“Pensem comigo: Perante este cenário quem não deixaria de pagar a renda?”

José Morais nas suas declarações, afirma que a vereadora Júlia Fernandes teve “falta de humanidade”. “Neste processo, a vereadora Júlia Fernandes, responsável pelas habitações e ação social, revelou uma enorme falta de humanidade. É desumano deixar pessoas a viver nestas condições e nada fazer para resolver o problema. É desumano pretender pôr uma família a viver na rua, em particular nesta fase tão difícil que atravessamos. Estar no poder para defender apenas os interesses instalados e os poderosos, é fácil. Mas a função dos políticos é defender todos, em geral, e os mais desfavorecidos, em particular. Ajudem-me a denunciar esta situação de tremenda insensibilidade social. Talvez assim resolvam o problema a esta família. E para que não fique tudo na mesma, apelo, ainda, ao senhor presidente da câmara que chame este dossier a si, suspenda a ordem de despejo e que ordene a execução imediata de obras nas habitações sociais”.

Veja o vídeo na íntegra

 

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo