Vila Verde

Júlia Fernandes na corrida à liderança da Câmara de Vila Verde

Júlia Fernandes, atual vereadora (PSD) na Câmara Municipal de Vila Verde com o pelouro da Educação, Cultura e Ação Social tem intenções de avançar na corrida ao “poder” desta autarquia, nas próximas eleições autárquicas. A revelação é feita pelo jornal Sol, na sua última edição.

A vereadora, que até há pouco tempo dedicava-se exclusivamente às áreas que lhe são destinadas enquanto vereadora (Educação, Cultura e Ação Social), tem-se deslocado ao “terreno” para acompanhar algumas obras que se fazem no concelho, servindo-se depois das redes sociais do Município para as divulgar. Nos últimos dois meses, contabilizamos pelo menos oito visitas onde o Município fez questão de partilhar na sua página de facebook e sítio de internet a presença de Júlia Fernandes a visitar as obras de várias freguesias de Vila Verde – replicando depois na imprensa de Braga.

 

Júlia Fernandes não tem, porém, tarefa fácil. As notícias que têm vindo a público pela imprensa nacional não abonam a seu favor.

Corrupção – Loja Interativa de Turismo

Foi há precisamente um ano que António Vilela, edil, e Júlia Fernandes foram constituídos arguidos na Operação Éter (investigação sobre uma alegada viciação de procedimentos de contratação pública) por causa da instalação de uma loja interativa de turismo no concelho. Na altura António Vilela, em declarações à Lusa, sublinhou que tanto ele como a vereadora estão “de consciência completamente tranquila” e que tinha sido “um processo o mais transparente possível.”

Júlia Fernandes “acusada de favorecer familiares”

Escreve o Sol que no ‘olho de furacão’ surge quase sempre o nome de Júlia Fernandes”. Os socialistas de Vila Verde têm acusado a vereadora de utilizar a sua posição na autarquia em benefício pessoal e dos seus familiares. “Uma rede de influências que terá alegadamente favorecido várias associações e empresas com ligações a Júlia Fernandes e ao seu marido, José Manuel Fernandes (eurodeputado e considerado um dos sete deputados do Parlamento mais influentes pelo ranking da Votewatch referente a este ano).

A informação denunciada num artigo de opinião no Semanário V sobre o “negócio” com o jornal Terras do Homem, foi também mencionada nesta reportagem do Sol. O Terras do Homem, propriedade da empresa Terraimagem, “apesar de manter uma presença online escassa e uma circulação física quase inexistente” recebeu vinte mil euros da Câmara Municipal de Vila Verde no ano de 2019. A Terraimagem é propriedade, em parte, de Filipe Alves Fernandes (primo de José Manuel Fernandes); Emílio Rodrigues, irmão de Júlia Fernandes, é o principal redator do Terras do Homem. Júlia Fernandes, em declarações ao Sol, negou que a autarquia apoie qualquer órgão de comunicação social da região.

Perfis falsos nas redes sociais na agenda política em Vila Verde

Escreve o Sol que outra acusação é a de que Júlia Fernandes e José Manuel Fernandes estarão envolvidos na criação de perfis falsos nas redes sociais, numa tentativa de influenciarem a opinião pública. Paulo Marques, líder do CDS-PP de Vila Verde levou mesmo o caso ao Ministério Público.

Recorde-se que depois do Semanário V avançar em exclusivo com com a notícia dos perfis falsos nas redes sociais, denunciado por Paulo Marques, as contas acabaram todas elas eliminadas.

Sol escreve ainda que Paulo Marques dizia que essas contas falsas serviam apenas para comentar e partilhar favoravelmente publicações no Facebook do executivo, de Júlia Fernandes e do seu marido José Manuel Fernandes, assim como conteúdos publicados no jornal Terras do Homem.

Autárquicas 2021 – Vila Verde

Está oficialmente aberta a corrida às Autárquicas 2021 em Vila Verde, pelo punho de Júlia Fernandes. No Partido Socialista, reina o silêncio, não se sabendo para já se José Morais se irá recandidatar, embora o Semanário V saiba que há muitos militantes socialistas que assim o desejariam. Samuel Estrada ainda não deu sinais para onde irá seguir o partido. Filipe Silva, autarca de Soutelo, é outro dos nomes que se ouve aqui e ali, firmando a dúvida se se aliará aos socialistas ou será arrojado o suficiente para avançar com independente. Paulo Marques, líder do CDS-PP de Vila Verde, é um dos políticos de oposição que mais se tem manifestado publicamente contra o executivo municipal – a probabilidade é que vá à luta. E o Chega!? Fernando Feitor tem feito “barulho” nas redes sociais – haverá estrutura a tempo de 2021?

 

 

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo