Viana do Castelo

Covid-19. Festival de música Barroselas Metalfest afinal já só regressa em 2022

(c) LUSA

A 23.ª edição do Barroselas Metalfest, que deveria ter acontecido este ano e foi adiada para 2021, afinal só irá acontecer em 2022, anunciou a organização, referindo que “estes tempos sombrios” não permitem um festival “como nos velhos tempos”.

O adiamento do festival, que decorre em Barroselas, localidade do concelho de Viana do Castelo, foi anunciado pela organização numa publicação na página oficial do Barroselas Metalfest na rede social Facebook.

“Estes tempos sombrios não nos permitem imaginar Barroselas como nos velhos tempos nem o nosso coração aceita um novo desfecho dececionante. Mesmo correndo o risco de voltar a errar, preferimos adiar o SWR Barroselas Metalfest 23 para 28 abril – 01 maio 2022 e encarar o futuro com otimismo e bom senso”, lê-se na publicação.

A 23.ª edição do festival deveria ter acontecido entre 29 de abril e 02 de maio deste ano, mas foi adiada devido à pandemia da covid-19. No final de março, a organização anunciou que a 23.ª edição iria realizar-se nos mesmos dias, entre 29 de abril e 02 de maio, mas em 2021.

A organização refere que, até 2022, irá “aproveitar para trabalhar novas ideias e preparar mais uma edição com calma e ponderação”.

“É muito triste, mesmo deprimente e até revoltante, mas um guerreiro será sempre um guerreiro! Os bilhetes comprados continuam válidos para 2022 e assim que possível informaremos acerca dos procedimentos de reembolso”, afirma.

O Barroselas Metalfest é o primeiro festival de música português a ser adiado de 2021 para 2022.

A pandemia da covid-19 fez com que este ano não se realizassem um pouco por todo o mundo os habituais festivais de música, que juntam milhares de pessoas e se concentram sobretudo nos meses de verão.

Em Portugal, as edições de 2020 dos festivais começaram em abril a serem adiadas para 2021.

Mas, foi só em maio, com o anúncio da proibição da realização de “festivais e espetáculos de natureza análoga” até 30 de setembro, e a posterior aprovação na Assembleia da República, que muitas organizações tomaram a decisão de adiar as edições de 2020.

No entanto, este tipo de espetáculos seria permitido com lugares marcados e o cumprimento de regras que permitam o distanciamento social.

No caso dos adiamentos, os portadores de bilhete tiveram direito a pedir a troca do mesmo por um vale “de igual valor ao preço pago”, válido até 31 de dezembro de 2021, e que pode ser utilizado na “aquisição de bilhetes de ingresso para o mesmo espetáculo a realizar em nova data ou para outros eventos realizados pelo mesmo promotor”.

Caso o vale não seja usado até 31 de dezembro de 2021, “o portador tem direito ao reembolso do valor do mesmo”, podendo pedi-lo a partir de 01 de janeiro de 2022, e “no prazo de 14 dias úteis”.

Entretanto, no final de setembro, o Governo decidiu prolongar a proibição da realização de “festivais e espetáculos de natureza análoga” até 31 de dezembro deste ano.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo