Curiosidades

Primeiro dia do congresso do PCP com “casa cheia” e sete horas de discursos

(C) DIreitos reservados

O primeiro dia do XXI congresso comunista terminou hoje às 20:03, após cerca de sete horas de discursos, iniciado pela intervenção do secretário-geral, que afirmou o PCP como “partido de oposição” e “cavou” diferenças com o PS.

Eram 20:03 quando a mesa do congresso declarou fechados os trabalhos do congresso, que são retomados às 09:00 de sábado, dia em que vai ser eleito o novo comité central numa reunião dos delegados ao congresso, reduzidos a 600 devido às restrições da pandemia de covid-19.

No seu discurso de abertura, Jerónimo de Sousa sustentou que o seu partido, tal como na legislatura passada em que participou num entendimento à esquerda com o PS, o PCP não foi “parte de uma alegada maioria” de suporte ao Governo, “mas sim força de oposição”.

“Oposição a tudo o que contrarie ou faça retroceder os interesses e direitos dos trabalhadores e do povo, e força indispensável para com a sua iniciativa se avançar na conquista de novos direitos”, disse.

Seguiram-se discursos de dirigentes e delegados sobre o trabalho feito pelas organizações partidárias, de norte a sul do país.

Logo após o encerramento dos trabalhos, as bancadas e as cadeiras do recinto onde decorre o congresso, Pavilhão Paz e Amizade, em Loures, foram fumigadas com desinfetante, tal como já tinha sido feito na pausa para o almoço, uma das medidas de segurança sanitária que os comunistas adotaram na sua reunião magna.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo