Vila Verde

Mesmo sem Gala gasta-se mais no Namorar Portugal que no apoio social a afetados pela Covid-19

Partilhe esta notícia!

A Câmara de Vila Verde aprovou na passada quinta-feira o Orçamento Municipal, cujo valor global ronda os 43 milhões de euros, com votos contra do Partido Socialista.

No documento “Grandes Opções do Plano e Orçamento 2021-2025” que o Semanário V teve acesso, a rubrica “Fevereiro, Mês do Romance” não ficou esquecida, sendo que, segundo o Município, “este ano, devido à situação resultante da pandemia que o país atravessa, será realizado com iniciativas muito pontuais e contidas. Apenas será realizado o Concurso Internacional de Criadores de Moda, em parceria com a Aliança Artesanal, e feita a apresentação de produtos da marca “Namorar Portugal”, permitindo aos parceiros da marca o desenvolvimento dos seus projetos e dos seus modelos de negócio.”

“Julinha das Festas” sem Jantar de Gala

Nas redes sociais, a autarquia liderada pelo social-democrata António Vilela fez saber que “não haverá o habitual Jantar de Gala nem público a assistir ao desfile, privilegiando o formato online e cumprindo todas as orientações da Direção-Geral da Saúde”. Júlia Fernandes, vereadora da cultura, que é muitas vezes apelidada de “Julinha das Festas” pelos vila-verdenses, vê assim o ponto alto do seu programa a não ser concretizado.

57.500€+IVA para Namorar Portugal. 35.000€+IVA para apoiar munícipes afetados pela Covid-19

A produção da Gala Namorar Portugal teve um custo de 72.000€ + IVA em fevereiro deste ano, aos cofres do município. Para 2021, embora não haja a produção in loco, a autarquia prevê mesmo assim gastar 20.000€+IVA. Contas feitas, mesmo com todas as restrições devido à pandemia Covid-19, António Vilela prevê gastar 57.500€+IVA na programação “Fevereiro, Mês do Romance” – mais 64% do que gastará por exemplo, na rubrica do “Plano de Ação – Covid-19”, com despesas destinadas à promoção de apoios sociais aos munícipes afetados pelo Covid-19: 35.000€+IVA.

Comentários

topo