Vila Verde

Casos de Covid-19 crescem em Terras de Bouro e diminuem em Vila Verde e Amares

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Sete concelhos a Norte registaram, entre a última semana de novembro e primeira de dezembro, um crescimento superior a 30% de novos casos de infeção e 31 concelhos um decréscimo superior a essa percentagem, segundo o relatório da ARS-N.

O documento da Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), a que a Lusa teve hoje acesso, reporta a evolução da situação epidemiológica entre a terceira semana de novembro (de 17 a 23) e a primeira semana de dezembro (de 01 a 07).

Dos vários concelhos abrangidos pela ARS-N, destacam-se sete que, entre a última semana de novembro e a primeira de dezembro, registaram um crescimento de novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2 superior a 30%.

Sabrosa, Mesão Frio, Vila Pouca de Aguiar e Montalegre, no distrito de Vila Real, registaram uma taxa de crescimento de 140%, 100%, 94% e 34%, respetivamente.

Também Vinhais, Torre de Moncorvo e Vila Flor, no distrito de Bragança, acompanharam esta tendência.

Apesar do crescimento, os mapas do relatório da ARS-N sobre o crescimento e variação do número de novos casos de infeção a Norte refletem um maior número de concelhos a azul, isto é, municípios que contabilizaram uma diminuição.

Entre os 31 concelhos que registaram um decréscimo de novos casos de covid-19 superior a 30%, destacam-se Espinho, Arouca e Vale de Cambra, em Aveiro [onde a ARS-N abrange sete municípios], distrito que contabiliza agora um decréscimo de 22%.

Neste distrito, apenas o concelho de Oliveira de Azeméis contraria a diminuição, ao registar mais 18% de novos casos, passando de 309 na última semana de novembro para 365 na primeira deste mês.

No distrito de Braga, que contabiliza agora menos 23% de novos casos, os municípios de Vizela, Fafe, Cabeceiras de Basto, Póvoa de Lanhoso, Guimarães e Amares também registaram uma diminuição.

Aqui, apenas o concelho de Terras do Bouro cresceu 13% entre as duas semanas.

À semelhança dos distritos de Aveiro e Braga, também no distrito de Bragança – cuja tendência de decréscimo se fixa nos 24% – os municípios de Macedo de Cavaleiros, Alfandega da Fé, Freixo de Espada à Cinta, Mogadouro e Miranda do Douro registaram menos 30% de novos casos de infeção pelo SARS-CoV-2.

Também Santo Tirso, Lousada, Penafiel, Paços de Ferreira e Baião, no distrito do Porto, acompanharam este rumo.

No distrito do Porto, que contabiliza agora uma diminuição de 22% de novos casos, apenas Amarante contraria esta tendência, ao registar mais 28% de novos casos e passando de 209 novos casos na última semana de novembro para 268 na primeira de dezembro.

Os dez municípios de Viana do Castelo, distrito que regista agora um decréscimo de 29%, diminuíram o número de novos casos de infeção pelo novo coronavírus, destacando-se Arcos de Valdevez, Paredes de Coura, Melgaço, Vila Nova de Cerveira e Caminha.

Já no distrito de Vila Real, que totaliza menos 20% de novos casos de infeção, também os municípios de Alijó, Ribeira de Pena, Mondim de Basto, Boticas e Chaves registaram menos 30% do número de novos casos.

Segundo o relatório, Chaves é o concelho que apresenta a maior taxa de incidência, com a mesma a fixar-se nos 2.363 casos por 100 mil habitantes a cada 14 dias.

A Chaves sucedem-se os municípios de Mondim de Basto, Vila Pouca de Aguiar, Trofa, Vila Nova de Famalicão, Guimarães, Armamar, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho e Esposende.

Nestes nove concelhos a incidência é superior a 1.300 casos por 100 mil habitantes a cada 14 dias, sendo que a média da região Norte se fixa agora nos 930 casos.

Portugal contabiliza pelo menos 5.192 mortos associados à covid-19 em 332.073 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país está em estado de emergência desde 09 de novembro e até 23 de dezembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado.

Comentários

topo