Braga

Universidade do Minho abre inquérito interno para investigar “praxe racista” e culpar responsáveis

(c) Redes sociais

A Universidade do Minho emitiu comunicado oficial acerca do episódio de uma praxe supostamente com contornos de racismo.

Comunicado oficial na íntegra

A Universidade do Minho foi surpreendida esta semana com a publicação de um vídeo nas redes sociais que mostra estudantes seus em práticas de “praxe” gravemente ofensivas da dignidade humana.

A Universidade ativou já os instrumentos de natureza disciplinar aplicáveis, tendo procedido à abertura de um inquérito interno, visando averiguar os factos e as correspondentes responsabilidades.

A Universidade, à luz do seu Código de Conduta Académica, condena veementemente todas as atitudes discriminatórias, dentro dos campi ou fora deles, motivadas por razões culturais, de género, de etnia, de nacionalidade ou de orientação política, ideológica, religiosa ou sexual, nomeadamente ações de ofensa física, verbal, moral ou psicológica, bem como situações de coação, intimidação, assédio ou humilhação.

Importa recordar que os estudantes da Universidade do Minho, conforme previsto no referido Código, devem “contribuir para a harmonia de convivência e para a plena integração de todos os colegas na comunidade académica, em clima de liberdade e de respeito mútuo, com renúncia a práticas de qualquer ato de discriminação, intimidação, humilhação ou assédio”.

A Universidade do Minho proibiu, há anos, a “praxe” no interior dos campi, continuando empenhada em demonstrar a todos os estudantes que ela é incompatível com os objetivos da educação superior, independentemente do lugar onde ocorra.

O episódio em causa vem alertar a comunidade académica para a necessidade de se continuar a promover ações, curriculares e não curriculares, que aumentem a consciência sobre os princípios orientadores e os valores que a Universidade adota.

A Universidade do Minho não esquece nunca que é objetivo da sua missão “a formação humana ao mais alto nível, nas suas dimensões ética, cultural, científica, artística, técnica e profissional”.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo