Região

127 trabalhadores em risco de despedimento com crise no turismo do Minho

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

O inquérito ao impacto da COVID-19 das empresas turísticas Minhotas pós verão, realizado em novembro pela APROTURM, demonstra uma realidade setorial dura que exige, no curto prazo, apoios urgentes específicos à liquidez das empresas que lutam pela sua sobrevivência e pela dos postos de trabalho
O inquérito ao impacto da COVID-19 das empresas turísticas Minhotas pós verão, realizado em novembro pela APROTURM, demonstra uma realidade setorial dura, destaca a capacidade de resiliência e persistência dos empresários turísticos Minhotos na luta pela manutenção das suas empresas e postos de trabalho, expressando a confiança de que a retoma da “normalidade” turística possa acontecer nos próximos 12 meses.

▪ Entre junho e setembro de 2020, 9 em cada 10 empresas mantiveram o normal funcionamento e indicaram quebras de faturação superiores a 80% relativamente ao período homólogo;
▪ 6 em cada 10 empresas não demonstram liquidez financeira de curto prazo e 1/3 destas pondera a extinção definitiva da empresa até final de 2020, colocando em risco, no mínimo, 127 postos de trabalho;
▪ 6 em cada 10 empresas recorreram a apoios financeiros no âmbito da COVID-19, contudo 4 em cada 5 empresários consideram os apoios financeiros existentes inadequados;

Os empresários reclamam apoios como: i) empréstimos a fundo perdido; ii) isenções fiscais; iii) redução
ou isenção temporária da TSU; iv) apoio às rendas; v) alojamento temporário de idosos residentes em
lares; vi) apoio à digitalização das empresas; vii) apoio a sócios gerentes; iv) isenção dos pagamentos por
conta.

Sobre a APROTURM

A Associação, sem fins lucrativos, denominada APROTURM – Associação dos Profissionais de Turismo do
Minho, tem como principais objetivos: 1) Unir, representar, expressar e defender os interesses dos profissionais
de turismo; 2) Cumprir e fazer cumprir as garantias éticas e técnicas inerentes à qualidade de profissional de
turismo; 3) Fomentar o avanço técnico-científico, a qualidade e o desenvolvimento das profissões e das
competências exigidas para o seu desempenho.

Comentários

topo