Braga

Escola Sá de Miranda em Braga continua a convocar reuniões presenciais, denuncia sindicato

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

O S.TO.P. – Sindicato de Todos os Professores informou que graças à pressão exercida pelo S.TO.P. algumas escolas já estão a mudar (em defesa da saúde pública) eventos/reuniões presenciais para online. A título de exemplo:

– Agrupamento de Escolas de Pombal (cancelou todas as reuniões presenciais);
– Escola Secundária Henrique Medina (cancelou todas as reuniões presenciais);
– Agrupamento de Escolas da Batalha (cancelou todas as reuniões presenciais);
– Agrupamento de Escolas Professor Armando de Lucena (cancelou um Espetáculo de Natal presencial, que teria 3 sessões, com a presença de aproximadamente 10 turmas de cada vez, mais os professores acompanhantes).

No entanto continuamos a receber denúncias sobre a convocatória de reuniões presenciais nas seguintes Escolas (muitas em concelhos com risco extremamente elevado e muito elevado no atual contexto de pandemia).
Relembramos que este tipo de conduta não cumpre as “Orientações Ano Letivo 2020/2021” da responsabilidade conjunta da DGS, DGEstE e DGE *(a maioria das escolas, e bem, não está a convocar reuniões presenciais).

ACTUALIZAÇÃO a 18/12/2020
Em concelhos com risco extremamente elevado:
Secundária Martins Sarmento (Guimarães);
Escola Profissional Cenatex (Guimarães);
Agrupamento de Escolas Caldas de Vizela (Vizela);
Agrupamento de Escolas Santa Maria da Feira;
Agrupamento de Escolas Arqueólogo Mário Cardoso (Guimarães);
Agrupamento de Escolas Sá de Miranda (Braga).

*Em concelhos com risco muito elevado:
Agrupamento de Escolas Afonso de Albuquerque (Guarda);
Agrupamento de Escolas Padrão da Légua (Matosinhos);
Escola Básica do Alto do Lumiar (Lisboa);
Agrupamento de Escolas de Airães (Felgueiras);
Agrupamento de Escolas Maria Keil (Loures);
Agrupamento de Escolas Vale Aveiras (Azambuja);
Agrupamento de Escolas Latino Coelho (Lamego);
Agrupamento de Escolas 4 de Outubro (Loures);
Secundária Rainha Dona Amélia (Lisboa);
Escola secundária Filipa de Vilhena (Porto);
Escola Secundária Pedro Nunes (Lisboa);
Secundária de Sacavém (Loures);
Escola Secundária Henriques Nogueira (Torres Vedras);
Agrupamento de Escolas nº1 Gondomar;
Escola Profissional AD Areeiro (Lisboa).

*Em concelhos de risco elevado e outros:
Agrupamento de Escolas Navegador Rodrigues Soromenho (Sesimbra);
Secundária de Peniche;
Agrupamento de Escolas Ericeira (Mafra);
Agrupamento de Escolas da Abrigada (Alenquer);
Agrupamento de Escolas D.João II (Caldas da Rainha);
Agrupamento de Escolas de Melgaço;
Escola D. Maria II (Vila Nova da Barquinha);
Agrupamento de Escolas Poeta Joaquim Serra (Montijo);
Agrupamento de escolas Laura ayres (Loulé);
Agrupamento de Escolas Venda do Pinheiro (Mafra);
Agrupamento de escolas de Vila Flor.

O S.TO.P. – Sindicato de Todos os Professores refere ainda que “Comunicámos às entidades competentes estas informações. Se estas não atuarem, estão objetivamente a ser cúmplices deste enorme desrespeito à saúde de muitos professores (e de suas famílias), algo particularmente grave quando a classe docente portuguesa é umas das mais envelhecidas da Europa”.

Comentários

topo