Mundo

Covid-19. Alemanha passa pela primeira vez barreira dos mil mortos diários

(c) LUSA
Partilhe esta notícia!

A Alemanha registou 1.129 mortos por ou com covid-19 nas últimas 24 horas, ultrapassando pela primeira vez a barreira de mil óbitos diários, foi hoje anunciado.

O Instituto Robert Koch, entidade competente por esta matéria no país, também anunciou 24.740 infetados com o novo coronavírus no mesmo período, um número abaixo do máximo diário (33.777) contabilizado em meados de dezembro.

O pico anterior diário de mortes (962) foi anunciado há uma semana.

O número total de contágios confirmados desde o início da pandemia aumentou na Alemanha, com 83 milhões de habitantes, para 1.687.185 casos, dos quais 1.302.600 são pacientes recuperados, enquanto o número de óbitos subiu para 32.107.

O Governo federal já indicou que pretende prolongar as atuais restrições drásticas além da data inicialmente prevista, 10 de janeiro.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e os líderes regionais, responsáveis pela implementação das medidas, deverão reunir-se a 05 de janeiro para avaliar a situação.

Desde 16 de dezembro, foram encerradas lojas não essenciais, com exceção de produtos alimentares e outros bens de consumo do quotidiano, como farmácias, bancos, correios, estações de serviço e, em alguns estados, livrarias.

A Alemanha já tinha encerrado, desde o início de novembro, estabelecimentos de diversão noturna, culturais e de restauração.

As férias escolares foram adiadas por alguns dias e serão prolongadas até 10 de janeiro, mais do que o habitual, com a intenção de conter a pandemia.

Tal como a maioria dos Estados da União Europeia, a Alemanha iniciou a campanha de vacinação no domingo, em hospitais geriátricos, e logo depois em 440 centros criados em todo o país.

De acordo com estimativas governamentais, 1,3 milhões de doses de vacinas da BioNTech alemã e da sua parceira norte-americana, a Pfizer, deverão ser distribuídas no país até ao final deste ano.

Estima-se que no primeiro trimestre do ano terão sido injetadas cerca de 14 milhões de doses desta vacina ou da norte-americana Moderna, que aguarda a respetiva aprovação na Europa.

O objetivo do Governo é, à medida que a produção acelera e outras vacinas são aprovadas, poder oferecer a todos os cidadãos a possibilidade de serem vacinados até meados do ano. A vacinação será gratuita e voluntária.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.775.272 mortos resultantes de mais de 81,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Comentários

topo