Braga

Fonte do Pelicano em estado de degradação e ao abandono do Município de Braga

(c) Carlos Dobreira

Escreve o ativista Carlos Dobreira que a Fonte do Pelicano em Braga apresenta sinais de degradação e falta de limpeza que está a degradar a pedra e a beleza deste monumento arquitetónico de Braga.
“Desde 3 de junho de 2019 tenho observado, no âmbito de estudo da Praça do Município e de sessões de plogging, o progressivo estado de degradação da Fonte do Pelicano, obra arquitetónica da autoria de Marceliano de Araújo e construída entre 1745 e 1756″. De facto, lamenta-se o estado de sujidade dos cinco corpos da fonte de rara beleza. Destaque para a pedra de armas, os dois anjos tocheiros, a esfera armilar e o pelicano, que revelam abandono, falta de conservação e de limpeza. Registe-se o estado do tanque de contorno mistilineo, o qual tem fissuras e é utilizado como depósito de resíduos e de lixo. Igualmente, realce para as taças facetadas, em que em duas delas, meninos (um deles sem cabeça) seguram um pelicano a deitar água pelo bico. Noutra taça, um terceiro menino, o qual deita água pela boca, não tem mão. (ver crédito). No início de 2020, a Fonte do Pelicano e a Praça do Município viveram momentos de desrespeito e de delapidação com a instalação de uma enorme tenda onde se realizou um concerto do cantor David Carreira. Absolutamente inqualificável”, escreve oi mesmo em exposição ao Semanário V.

Apelo à ministra da Cultura

“Solicita-se a intervenção da Senhora Ministra da Cultura direcionada para realização de diligências no sentido da recuperação e dignificação da Fonte do Pelicano”, escreve Carlos Dobreira no apelo enviado à ministra da cultura.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo