André Almeida

Opinião. O meu desejo para 2021? Esperança e Bom Senso!

Partilhe esta notícia!

Caro(a) leitor(a), Bom ano!

Em primeiro lugar espero que se encontre bem!

Neste novo ano que agora se inicia é comum lermos diversos artigos sobre tendências que se verificam e tenderão a persistir ao longo de um novo ano, é normal. Eu próprio já o fiz, mesmo aqui no Semanário V. No entanto e muito por força do momento abordarei este primeiro artigo do novo ano com um tema que considero essencial a tudo!

Provavelmente o novo ano 2021 é aquele em que mais as pessoas detêm expectativa em relação a praticamente tudo. Os acontecimentos ocorridos em 2020 fizeram e fazem com que a exigência exigida sobre este novo ano, que ainda agora acaba de nascer, é um pouco injusta, visto que tal como um recém-nascido não tem idade secar para trabalhar, sendo que este novo ano também ele “precisa” de se desenvolver para “mostrar o que vale”.

A analogia parece infantil, no entanto por vezes é necessário fazê-la pois verifica-se que é a única forma de se poder transmitir uma mensagem percetível pela maioria.

Já desde a altura dos nossos heróis descobridores, o cabo que se temia transpor estava apelidado de Boa Esperança, num presságio de crença de que tudo “vai ficar bem”. Foi a esperança que guiou aqueles homens a conquistarem metade do mundo e deve ser essa mesma esperança que devemos captar neste novo ano que se inicia, como forma de conseguirmos superar todas as adversidades. Já há uma vacina, já há pessoas a serem vacinadas e começa-se já a ver uma luz ao fundo do túnel. Contudo essa simples esperança não é nada sem algo, na minha ótica basilar: o Bom Senso.

De que vale ter esperança se continuarmos a promover o individualismo? De que vale haver uma vacina se até todos serem vacinados praticarmos maus hábitos que comprometam o nosso semelhante? De que vale a esperança se continuarmos a agir sem pensar? De que vale a esperança de continuarmos a colocarmo-nos em primeiro lugar a nós e aos nossos apenas? De que vale a esperança se uma ação nossa pode comprometer a vida de muitos? (momento de reflexão) Não vale de nada!

Penso que acima de tudo, o que preciso e o que mais desejo neste novo ano é o Bom Senso se torne um hábito. Em cada ação que façamos devemos pensar sempre no mais e no menos, quem vamos beneficiar e quem poderemos prejudicar. Aprendamos a ponderar, a acalmar, a ouvir, a analisar. Cada ação que fazemos tem uma repercussão. Uma simples gota no Oceano pode provocar um Tsunami…

Se queremos um mundo melhor, um ano melhor então basta querermos e fazermos por isso. Não existem varinhas nem poções mágicas: existimos, somos seres racionais, pensamos logo existimos, agimos. E se conseguimos pensar então conseguimos encontrar soluções, em conjunto, para superar todas estas adversidades que nos têm afetado a todos.

Bom Senso, é a palavra, é a ação que destaco hoje, este ano e sempre como aquela que é capaz de nos levar para um mundo melhor. Tal como o Marketing. O Marketing estuda, analisa, aplica e avalia ações que visam oferecer Valor ao próximo!

Serve este artigo assim para contribuir que o leitor possa pensar e meditar nesta linha de pensamento e se fizer sentido para si que possa melhorar um pouco a sua vida e a dos que lhe são próximos!

Desejo um fantástico ano a [email protected]! 😊

Veja mais artigos de marketing aqui no Semanário V ou na minha página pessoal!

Comentários

topo