Guimarães

Guimarães substitui ecopontos de superfície por equipamentos enterrados

(c) Município de Guimarães
Partilhe esta notícia!

Novos equipamentos com a possibilidade de integração do sistema PAYT, através de cartão magnético de acesso, e permitirá agregar a recolha de biorresíduos que já se encontra estimada para o segundo semestre de 2021.

O Município de Guimarães iniciou a segunda fase de substituição de ecopontos de superfície por enterrados, pretendendo de forma faseada modernizar o sistema de deposição de resíduos urbanos. Estão a ser colocados 13 equipamentos enterrados, num investimento superior a 350 mil euros.

Os novos equipamentos serão colocados em Azurém (Parque Infante – Rua Dr. João Afonso Almeida), na UF Oliveira do Castelo São Sebastião e São Paio (Avenida S. Gonçalo e Avª D. Afonso Henriques), na freguesia da Costa (Rua Antero Henriques da Silva, Rua Unidade Vimaranense, Rua Eça de Queirós e Rua Dr. Francisco Sá Carneiro) e em Pevidém (Praça Francisco Inácio).

No ano de 2020 foram já colocados pelo Município de Guimarães e pela Vitrus 10 ecopontos enterrados, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida, e uma melhor capacidade de integração na malha urbana a que acresce uma maior capacidade de enchimento, a redução da emissão de odores, um menor impacto visual e uma menor ocupação da via pública, contribuindo para a requalificação dos espaços urbanos, nomeadamente nas zonas centrais da cidade, vilas e freguesias do concelho.

Estes equipamentos permitirão ainda a integração do sistema PAYT, através de cartão magnético de acesso, e agregar a recolha de biorresíduos que já se encontra estimada para o segundo semestre de 2021, conforme candidatura apresentada ao POSEUR com um investimento de cerca de 1 milhão de euros.

Comentários

topo