Mundo

Covid-19. Inglaterra exige teste negativo para entrada no país

(c) LUSA

Todas as pessoas que desejem entrar em Inglaterra, incluindo cidadãos britânicos, devem ter um teste negativo para a covid-19 a partir da próxima semana, anunciou hoje o Governo.

Este teste, que a Escócia também espera aplicar em breve, já é exigido por outros países para conter a pandemia de covid-19.

De acordo com o ministro britânico dos Transportes, Grant Shapps, todos os passageiros que entrem em Inglaterra de avião, comboio ou barco devem apresentar teste negativo para a covid-19, que deve ser feito 72 horas antes do início da viagem, caso contrário, serão obrigados a pagar uma multa de 500 libras (553 euros).

As pessoas que ficam isentas serão os transportadores, crianças menores de 11 anos e tripulantes de países que não possuam infraestruturas para realizar estes testes.

O Governo britânico explicou que está a trabalhar com as autoridades do País de Gales e da Irlanda do Norte para aplicar esta medida, enquanto o executivo escocês indicou que espera adotá-la em breve.

Há algumas semanas, o Governo suspendeu os voos diretos da África do Sul devido ao aparecimento de uma nova variante do coronavírus que pode ser mais virulenta do que a detetada no ano passado no sudeste de Inglaterra.

“Já temos medidas significativas para evitar casos de covid-19 importados, mas com as novas variantes a aparecer internacionalmente, temos de tomar mais precauções”, disse Shapps em comunicado.

De acordo com os últimos dados oficiais, o Reino Unido registou na quinta-feira um total de 1.162 novas mortes por covid-19, e a tendência de aumento dos últimos dias continua.

Desde o início da pandemia, o Reino Unido registou um total de 78.508 mortes e 2.889.419 infeções.

O país acelerou o programa de vacinação com os preparados da Pfizer/BioNTech e da Oxford/AstraZeneca e estabeleceu a meta de vacinar os grupos mais vulneráveis – 13 milhões de pessoas – até 15 de fevereiro.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.884.187 mortos resultantes de mais de 87,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo