País

Presidenciais 2021. Já pode pedir o seu voto antecipado via online ou por CTT

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Os portugueses que não puderem votar nas presidenciais em 24 de janeiro podem pedir, a partir de hoje, para exercer o seu direito de voto uma semana antes, numa mesa de voto à sua escolha.
O voto antecipado em mobilidade foi alargado por lei aprovada no parlamento e pode ser feito na sede de cada um dos 308 concelhos do país, em vez da sede do distrito, como aconteceu nas eleições legislativas de 2019.
Assim, quem quiser antecipar o seu voto para 17 de janeiro, numa qualquer câmara municipal, em vez do dia 24 na mesa de voto onde está inscrito, tem de o até quinta-feira, 14 de janeiro.
O pedido pode ser feito por via eletrónica junto do Ministério da Administração Interna no “site” www.votoantecipado.mai.gov.pt ou através de correio normal.

O eleitor deve mencionar o nome completo, data de nascimento, número de identificação civil, morada, mesa de voto antecipado em mobilidade onde pretende exercer o direito de voto, endereço de correio eletrónico e/ou contacto telefónico, havendo uma minuta na página da Internet do Ministério da Administração Interna.
No dia 17 de janeiro, o eleitor vota na mesa do local escolhido, de acordo com a alteração à lei, aprovada em outubro pela Assembleia da República.

O número de secções de voto vai aumentar, para evitar grandes concentrações. Haverá um reforço do número de assembleias de votos, ou seja, os habituais 1.500 cidadãos por mesa de voto foram reduzidos para 1.000.
A Comissão Nacional de Eleições pede ainda que cada eleitor deve levar a sua própria caneta para votar, para não haver partilha de objetos que sejam utilizados por várias pessoas.

Também nestas presidenciais nem todos os eleitores terão de se deslocar a uma mesa de voto.
Os idosos em lares de idosos vão poder exercer o direito de voto sem terem de sair das instalações.
Para isso, os idosos que estão em lares deverão poder fazer a inscrição para o voto antecipado entre 14 e 17 de janeiro, podendo exercer este direito entre os dias 19 e 20.
Os votos serão recolhidos por “equipas organizadas pelas autarquias”, com o apoio da Administração Eleitoral e também das forças de segurança, que se deslocarão aos lares.
Nestas instalações também deverá ser “encontrado um espaço para exercício do direito de voto e o acompanhamento pelos representantes das candidaturas”.

Idêntico processo será aplicado às pessoas que se encontram em isolamento profilático nas suas casas ou outro local determinado pelas autoridades sanitárias.

Saiba mais aqui

Comentários

topo