Braga

The Silent Box: A banda de Braga que quer conquistar o panorama Rock nacional

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

The Silent Box é esse lugar metafórico onde mergulhamos num mundo próprio de influência Rock, Indie, Blues, Jazz, por vezes metal, onde a música parece metamorfosear-se numa base sobretudo experimental que quer definir o seu próprio rumo. A banda bracarense nasce em 2018 dentro da caixa, mas com uma filosofia fora dela.

Depois de um EP gravado em 2018 e lançado em 2019, o recém lançado single Hold On é a porta de entrada para um álbum promissor, ainda em fase de produção, com lançamento previsto para o final do ano, com o apoio do Poison Studio.

Hold On: Um ensaio sobre saúde mental

Em Hold On há uma linha que transpõe os limites da sanidade mental e é precisamente essa mensagem que o videoclip, com a assinatura da Gearfilms pretende transmitir. Num exercício que nos leva pelos meandros dos distúrbios camuflados de uma mente em desequilíbrio damos por nós a estabelecer um paralelismo com os desafios que cada ser humano enfrenta e na importância da busca dessa voz interior de descoberta, por vezes de redescoberta, de um mundo interior melhor. Desse equilíbrio que acaba por se tornar na missão de vida de cada um.

As influências Rock dos anos 70/80

O universo da banda gravita em torno de referências intemporais como Led Zeppelin, Pink Floyd, e nomes mais recentes como Artic Monkeys, King nmGizzard and the Lizard Wizard e Black Keys. Mas o mais fascinante em The Silent Box é, sem dúvida, o background de influências dos diferentes membros da banda, alguns deles com formação clássica. É nessa interessante fusão musical que The Silent Box se encontra e se redescobre a cada música.

Os rostos da banda

Venceram o concurso de concertos do Avante! E passaram por diversos palcos e eventos do panorama musical nacional. São amigos, de personalidades e áreas completamente distintas entre si, mas trazem em comum a paixão pela música. João Rangel Pereira (voz); Eduardo Semanas (guitarra solo), André Sales (guitarra ritmo), Diogo Soares (baixo), João Oehen (bateria) e André Semanas (teclado) descobriram que o mundo pode ter o formato de uma caixa silenciosa. Esse lugar onde muito em breve veremos nascer uma variedade de estilos e uma composição invulgar que soa a surpresa e a improvável. Uma sonoridade que se entranha sem se estranhar, prova irrefutável de um talento nacional em viagem continua.

Comentários

topo