Guimarães

Técnicos da Câmara de Guimarães integram o projeto “Vamos Salvar Portugal”

(c) Município de Guimarães
Partilhe esta notícia!

Técnicos da Câmara de Guimarães integram o projeto “Vamos Salvar Portugal”, desde novembro, colaborando com a ARS Norte no sentido de ajudar a interromper de forma célere as cadeias de transmissão de COVID-19 na comunidade e reduzir o número de inquéritos epidemiológicos em atraso.

Ajuda no diagnóstico dos doentes

Este objetivo está a ser cumprido ao estabelecer contactos com todos os casos de infetados cerca de 24 horas após terem sido disponibilizados na plataforma, agilizando desta forma o diagnóstico de cada doente, de forma a instituir as medidas necessárias, como o Isolamento no domicílio do caso confirmado de COVID-19 e a identificação e posterior isolamento no domicílio dos contactos de alto-risco indicados, colaborando ainda na emissão da declaração de isolamento profilático, bem como de testes.

Projeto da ARS-Norte, em cooperação com o Ministério da Saúde e os Militares das Forças Armadas

Segundo comunicado enviado ao Semanário V, O Município de Guimarães adianta que este projeto é da ARS-Norte, em cooperação com o Ministério da Saúde e os Militares das Forças Armadas, conta com a intervenção de técnicos da Câmara Municipal de Guimarães desde o passado mês de novembro, no sentido de ajudar a autoridade de saúde pública a identificar e interromper de forma mais célere as cadeias de contágio na área geográfica do ACES do Alto Ave. Em dois meses, foram realizadas mais de 17 mil entrevistas na área do Alto Ave – com uma média diária de cerca de 300 contactos de casos confirmados de Covid-19 e dos respetivos contactos de alto risco – garantindo assim a realização dos inquéritos epidemiológicos em menos de 24 horas à população. Todos os casos são reportados às Unidades de Saúde Pública.

Em articulação com este projeto, as Equipas Multidisciplinares de Guimarães fazem acompanhamento e verificação dos infetados que não se conseguem contactar através de linha telefónica, bem como sempre que há suspeitas que os isolamentos não estão a ser cumpridos.

Comentários

topo