País

Ajuda alemã chega hoje a Portugal: Profissionais de saúde, ventiladores e camas

(c) LUSA
Partilhe esta notícia!

A ajuda médica alemã que vem dar apoio ao sistema de saúde português face à pressão provocada pela pandemia de covid-19 chega hoje a Portugal, sendo recebida pela ministra da Saúde e pelo ministro da Defesa. A chegada da comitiva médica militar da Alemanha, liderada por Ulrich Baumgärtner, está marcada para as 13:15, no aeroporto militar de Figo Maduro, segundo avança a LUSA em notícia a que o Semanário V acedeu.

Pedido de ajuda de Portugal à Alemanha

O processo de auxílio alemão a Portugal arrancou em 25 de janeiro, na sequência de um pedido de ajuda da ministra da Saúde, Marta Temido, à ministra da Defesa alemã, Annegret Kramp-Karrenbauer, e foi agora concretizado com uma equipa constituída por 26 profissionais de saúde, entre os quais seis médicos, sendo igualmente transportados 40 ventiladores móveis e 10 estacionários, 150 bombas de infusão e outras tantas camas hospitalares.

Em declarações à Lusa, o médico que vai estar à frente da missão disse que a equipa de profissionais de saúde militares, com competências ao nível da Medicina Intensiva, vai centrar-se principalmente num hospital de Lisboa, garantindo que também pode vir a ser dado apoio a outros do país.

“Sabemos que o sistema de saúde em Portugal está, por vezes, muito sobrecarregado. O quadro de funcionários dos hospitais e, principalmente, das unidades de cuidados intensivos atingiu o limite. Queremos apoiá-los com a nossa equipa, mas também com material clínico para, pelo menos, aliviar a situação”, sublinhou Ulrich Baumgärtner.

Profissionais de saúde “durante um período de três semanas no país”

De acordo com um comunicado conjunto dos Ministérios da Saúde e da Defesa de Portugal, os profissionais de saúde alemães permanecerão no país “durante um período de três semanas, estando prevista a sua substituição a cada 21 dias, até ao final de março, caso seja necessário”.

Em Portugal, morreram 13.017 pessoas dos 731.861 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Comentários

topo