Saúde

Covid-19. Costa fixa como objetivo vacinar 1,4 milhões de portugueses até abril

(c) LUSA
Partilhe esta notícia!

A ministra da Saúde apelou ao cumprimento das normas de saúde pública por parte daqueles que são vacinados contra a covid-19. Entre elas estão o distanciamento físico e a utilização de máscaras. Uma das principais razões para que se mantenham estas medidas, segundo a ministra, é a circulação de várias variantes, mais contagiosas e potencialmente resistentes às vacinas. Marta Temido lembrou, no arranque da vacinação dos profissionais dos bombeiros, que a pandemia só será ultrapassada quando houver uma imunização em toda a sociedade, tal como noticiou o Semanário V.

“Passos com tropeções”

Ainda sobre o plano de vacinação, Marta Temido admitiu que foram dados alguns “passos com tropeções”. Apesar desses percalços, a ministra traçou o objetivo de ter toda a população vacinada até ao “fim do verão”, em consonância com o que vinha já sendo dito pelo Governo, que apontou setembro como o mês para alcançar esse ponto.

1,4 milhões de portugueses até “ao princípio de” abril

O primeiro-ministro, António Costa, fixou como objetivo vacinar 1,4 milhões de portugueses até “ao princípio de” abril, depois de já terem sido administradas mais de “meio milhão de vacinas”. “Na semana passada, ultrapassámos o meio milhão de vacinas já administradas, o objetivo que temos é que, até ao princípio de abril, consigamos cumprir o objetivo de vacinar 1,4 milhões de portugueses entre aqueles que estão nos grupos de riscos prioritários e os que prestam serviços nos serviços essenciais”, afirmou António Costa.

O primeiro-ministro falava aos jornalistas no final de uma visita ao Quartel de Conde de Lippe, na Ajuda, em Lisboa, um dos locais onde arrancou hoje o processo de vacinação contra a covid-19 de efetivos da GNR e PSP. António Costa reafirmou o objetivo de “chegar ao final do verão com 70% da população portuguesa devidamente vacinada”. “Até ao final do verão temos um longo percurso, ainda estamos do inverno, ainda não chegámos sequer à primavera”, alertou, apelando a todos que prossigam até lá com as medidas de proteção individual.

Com Agência LUSA

Comentários

topo