Guimarães

Município de Guimarães distribui livros e refeições para as crianças carenciadas

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

O Município de Guimarães “não quer deixar ninguém para trás” e daí reforçar respostas aos problemas sociais a cada dia que passa, principalmente neste período de pandemia. Esta quarta-feira, 03 de março, teve início a campanha de distribuição de livros pelas crianças de famílias carenciadas, juntamente com as refeições distribuídas em serviço de takeway, que se desenrola desde o início do ensino à distância, informa a autarquia em comunicado a que o Semanário V teve acesso.

A oferta dos livros resulta de uma iniciativa do Lions Clube de Guimarães, no âmbito de uma campanha que teve “uma forte participação” dos cidadãos e livrarias, contando com as parcerias da Câmara Municipal e Biblioteca Municipal Raul Brandão.

César Teixeira, presidente do Lions, assegura que os objetivos que estiveram na origem desta iniciativa estão cumpridos. “Um dos objetivos é a promoção da língua portuguesa e incentivar a leitura na população estudantil, principalmente no seio de famílias vulneráveis. A comunidade aderiu com forte envolvimento, quer as pessoas e instituições do setor como as empresas livreiras e livrarias que ofereceram material de qualidade para chegar às crianças e jovens”.

Os livros já foram entregues nos agrupamentos escolares e começaram a ser distribuídos, através dos projetos sociais das Comissões Sociais Interfreguesias que, diariamente, levam as refeições a casa das crianças que pertencem a famílias carenciadas.

A vice-presidente da Câmara de Guimarães, Adelina Pinto, salienta que este processo culminará a 5 de maio, aquando se celebra o Dia Mundial da Língua Portuguesa. “Fomentar a leitura e garantir a equidade de acesso é uma forma de não deixar ninguém para trás, principalmente quando se tratam de crianças. A promoção da leitura é essencial neste tempo de pandemia quando temos as crianças mais presas aos ecrãs por força do ensino à distância. O convite ao livro é uma forma de aliviar o excesso de ecrãs”, refere.

Adelina Pinto realça ainda que o número de entrega de refeições está a aumentar, na medida em que são cada vez mais as famílias sinalizadas. Neste momento são mais de três centenas de refeições entregues a crianças e jovens até aos 18 anos. “A Câmara assume as refeições de pré-escolar e 1.º ciclo, mas faz a entrega em articulação com as Básicas do 2º e 3º ciclos e as Secundárias. Essa distribuição é feita pelos vários projetos sociais das Comissões Sociais Interfreguesias, através de técnicos qualificados que acompanham as situações e nos vão sinalizando outras necessidades, como por exemplo entregar também refeições para os adultos de certas famílias. Esta é uma situação que nos preocupa e que solicitamos a todos que nos sinalizem todas as pessoas e famílias que necessitam de ajuda, de forma a não deixar ninguém para trás, conscientes que os problemas económicos e sociais se agravam de dia para dia”, sublinha a vice-presidente do Município de Guimarães.

Comentários

topo