Vila Verde

Com Júlia Fernandes a presidente “seremos governados a partir de Bruxelas” – Paulo Marques

Partilhe esta notícia!

“Júlia Fernandes será a mão do jugo de José Manuel Fernandes sobre os vila-verdenses. Seremos governados a partir de Bruxelas como se Vila Verde fosse uma espécie de couto pessoal dos Fernandes, ao sabor de compadrio e dos interesses pessoais, dando umas migalhas a alguns, escolhidos a dedo pela vassalagem e cumplicidade”. Quem o diz é Paulo Marques, líder do CDS-PP de Vila Verde, em nota enviada à redação do Semanário V.

O centrista faz uma análise ao recente anúncio de Júlia Fernandes como candidata escolhida pelo PSD de Vila Verde a concorrer à Câmara Municipal nas próximas eleições autárquicas.

“Será uma tragédia para os bolsos dos vila-verdenses”

Diz Paulo Marques que “previsivelmente, será uma tragédia para os bolsos dos vila-verdenses. José Manuel Fernandes [casado com Júlia Fernandes, e que fora presidente da Câmara Municipal de Vila Verde entre 1997 e 2009] conseguiu a notável façanha de, em apenas 10 anos, aumentar a dívida em 1300%, de 3,250 milhões em 1997 para 44,411 milhões em 2007. É obra! Como prémio desta ‘excelência’ foi-lhe ‘oferecido’ um lugar de eurodeputado. Quanto à divida: o povinho paga.”

No comunicado enviado ao V, Paulo Marques dá conta para “memória futura, algum do curriculum de resultados de gestão da candidata/o Fernandes:”

Experiência profissional:
– Operação ETER. A candidata é arguida num caso de corrupção gravíssimo que envolve a loja interativa de turismo na sede do concelho.
– PROVIVER. Presidente da empresa municipal e deixou 2 milhões de euros de dívidas para os vila-verdenses pagar.
– Caixa de Crédito Agrícola. A candidata era Presidente do Conselho Fiscal com dever de fiscalizar no período do roubo de milhão de euros aos vila-verdenses (processo EPATV) e, imagine-se, a candidata não achou nada de estranho. Curiosamente, logo após o “negócio” deixou a instituição.
– Negócio Lixo. A candidata assinou a venda do lixo à empresa do presidente do Sporting Club de Braga, António Salvador e, grande coincidência, dois dias depois o seu marido era Presidente da Assembleia Geral do Clube.

Outras competências:
– Jornal Terras do homem. Dá dinheiro dos contribuintes ao “Jornal” do irmão. Só em 2019 foram 20.000€. Imagina de quem fala bem o dito jornal? E de quem fala mal?
– Perfis falsos. Troca mensagens regulares com perfis falsos no facebook que, por coincidência certamente, só dizem bem de si e do seu marido.
Onde anda a oposição em Vila Verde?

Paulo Marques (CDS-PP) de fora na corrida à Câmara

O líder centrista anunciou em dezembro passado que não será candidato à Câmara Municipal, assumindo o seu “fracasso junto dos militantes do CDS em Vila Verde” dizendo que “na verdade, não sei por onde andam.”

José Morais (PS) de fora na corrida à Câmara

Também José Morais (PS) anunciou no mês passado que não seria candidato. A decisão surgiu em menos de duas semanas após a demissão do presidente da Comissão Politica Concelhia do PS de Vila Verde, Samuel Estrada que disse não ter conseguido “unir e pacificar as diversas fações do partido” em torno do projeto com que foi eleito. Morais disse que com esta posição queria “apenas contribuir para que se abra a porta para um novo ciclo político em Vila Verde.”

Filipe Silva de fora na corrida à Câmara

Filipe Silva, autarca de Soutelo, disse também que não está nos seus planos concorrer à Câmara. “Neste momento dizer a alguém se quer ser candidato à Câmara de Vila Verde, isso não é um presente. É um calvário”, disse em declarações ao V.

Fernando Feitor (Chega) será candidato?

Júlia Fernandes parece ter, para já, um opositor com a promessa de Fernando Feitor, líder do Chega Vila Verde, de que haverá um candidato do partido a concorrer nas próximas Autárquicas, como adiantou em entrevista exclusiva ao Semanário V em janeiro deste ano.

Chega surpreendeu em Vila Verde. Fernando Feitor já tem os olhos nas Autárquicas

 

O Semanário V sabe que existem já movimentos independentes de cidadãos descontentes com o poder instalado e pela – cada vez mais enfraquecida – oposição em Vila Verde que ponderam concorrer a várias juntas de freguesia. Segundo informação recolhida pelo V, há ainda possibilidade de uma candidatura à Câmara Municipal independente.

Comentários

topo