Guimarães

Bombeiros Voluntários de Guimarães assinalaram simbolicamente o 144º aniversário

(c) Município de Guimarães
Partilhe esta notícia!

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Guimarães assinalou este domingo os 144 anos da instituição, com uma cerimónia simbólica onde teve lugar o hastear de Bandeiras, seguindo-se a colocação de uma coroa de flores pelo Presidente da Câmara Municipal, Presidente da direção dos Bombeiros e o Comandante da Corporação, no monumento do Bombeiro em homenagem aos Bombeiros e tributo aos fundadores, informa o Município em comunicado enviado à redação do Semanário V.

O último ano ficou, indubitavelmente, marcado pela pandemia da Covid-19 e, segundo o Presidente da Câmara, “os Bombeiros são o braço armado da proteção civil e os vimaranenses têm esse reconhecimento pelo trabalho que fazem em prol das pessoas e proteção de bens. Em ano de pandemia aumentamos ainda mais esse reconhecimento pela dedicação dos nossos Bombeiros”, frisou Domingos Bragança.

O Presidente da Direção, João Pedro Castro, salientou que “foi o ano mais intenso desta corporação” e vincou “os nossos bombeiros nunca viraram a cara à luta e sempre disseram presente”.

No horizonte, a corporação está apostada em adquirir uma autoescada para combate a incêndios urbanos e conta com o apoio da autarquia. “Assumimos uma forte comparticipação de 600 mil euros da Câmara Municipal, perante um equipamento que custa cerca de 800 mil euros, sendo essencial para o combate a incêndios essencialmente no Centro Histórico e zonas urbanas do concelho onde os acessos são mais difíceis. Esta autoescada foi construída e adequada à nossa realidade e com tecnologia de topo”, frisou Domingos Bragança.

O comandante dos Bombeiros, Bento Marques, destacou ainda a aquisição de duas novas ambulâncias, agradecendo o apoio da Câmara Municipal para a aquisição de uma viatura ainda o apoio da sociedade civil na adesão a uma campanha que está em curso para adquirir uma outra ambulância de cuidados intensivos com equipamento para atender doentes críticos.

Comentários

topo