Braga

Braga é o 3º distrito onde fecharam mais empresas no país

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Braga é o 3º distrito onde fecharam mais empresas

A conclusão é de um estudo da InfotrustGo, a maior empresa 100% portuguesa fornecedora de soluções de informação para negócios, que procurou entender a evolução da dinâmica empresarial em Portugal. Esta análise concluiu que, no distrito de Braga, encerraram 2599 empresas entre o primeiro trimestre de 2017 e o período homólogo de 2021.

Só os distritos de Lisboa e do Porto é que registaram mais encerramentos (12951 e 4821, respetivamente).

Quando olhamos para a evolução entre o primeiro trimestre de 2017 e o período homólogo de 2021, o número de empresas encerradas estava em tendência decrescente até ao ano de 2020. De facto, os efeitos provocados pela pandemia da Covid-19, poderão ajudar a explicar a quase duplicação do número de encerramentos entre o primeiro trimestre do ano passado (385) e o período homólogo do presente ano (686).

Dentro da realidade do seu distrito, os concelhos que registaram mais encerramentos foram Braga (726), Guimarães (546) e Vila Nova de Famalicão (335). Os setores de atividade mais afetados no período supramencionado, foram as Indústrias Transformadoras (480), os Serviços (458) e o Comércio a Retalho (442).

Insolvências em Braga crescem desde 2018

Nos últimos cinco anos, o distrito minhoto tem observado um crescimento no número de empresas que, por decisão do tribunal, estão incapazes de cumprir as suas obrigações. Embora tenha havido uma descida das insolvências entre o 1º trimestre de 2017 e 2018 (76 e 70, respetivamente), o período homólogo dos anos seguintes registou cada vez mais empresas insolventes.

Criação de empresas em Braga cai 32% em dois anos

De acordo com o estudo levado a cabo pela InfotrustGo, entre o 1º trimestre de 2017 e o mesmo período de 2019, o nascimento de novas empresas seguia uma tendência de crescimento. No entanto, ainda antes da pandemia chegar a Portugal, o distrito de Braga já registava uma queda acentuada no número de novas empresas (apenas 878 entre janeiro e março de 2020). De facto, quando observamos para os dados mais recentes, verificamos que entre 2019 e 2021 nasceram menos 388 empresas (uma descida de 32%).

Comentários

topo