País

Rui Rio de acordo com o fim do estado de emergência

(c) LUSA
Partilhe esta notícia!

O presidente do PSD, Rui Rio, manifestou-se hoje de acordo com o fim do estado de emergência no âmbito da pandemia de covid-19, considerando que já não é necessário para dar cobertura a medidas de contenção da epidemia.

“Hoje as circunstâncias são diferentes. Felizmente, o país está numa melhor situação, há um programa de desconfinamento, esse desconfinamento está a ser cumprido e se, do ponto de vista legal, não é necessário o estado de emergência para dar cobertura às medidas que são necessárias, é evidente que estou de acordo que não haja estado de emergência”, afirmou Rui Rio em Torres Vedras.

Para o líder social-democrata, que falava à margem da apresentação do candidato à câmara de Torres Vedras, o deputado Duarte Pacheco, o estado de emergência “não é um problema político, mas sobretudo um problema jurídico”.

Para o presidente do PSD, o país está “a desconfinar a um ritmo adequado”, motivo pelo qual espera que o Governo anuncie, na quinta-feira, “as medidas que estão desde o início programadas, desde que o índice de transmissibilidade e os novos casos por 100 mil habitantes estejam em linha com o que é necessário”.

O Presidente da República avisou na terça-feira, após anunciar o fim do estado de emergência, que não hesitará em propor novamente este quadro legal ao parlamento, se necessário, para conter a propagação da covid-19.

O atual período de estado de emergência – o 15.º decretado pelo Presidente da República no atual contexto de pandemia de covid-19 – teve início em 16 de abril e termina às 23:59 de sexta-feira, 30 de abril.

Este quadro legal, que tem permitido a adoção de medidas restritivas de direitos e liberdades para conter a propagação da covid-19 em Portugal, está em vigor com sucessivas renovações desde 09 de novembro, depois de já ter sido aplicado entre março e maio do ano passado.

Comentários

topo