Mundo

Covid-19. EUA apoiam distribuição mundial de vacina a preço de custo

(C) LUSA
Partilhe esta notícia!

Os Estados Unidos estão a trabalhar para que as farmacêuticas que desenvolveram uma vacina contra o vírus Sars-CoV-2 a distribuam a nível mundial ao preço de custo para acabar com a pandemia, foi hoje anunciado.

“O resultado final é que acreditamos que as empresas farmacêuticas devem fornecer uma vacina a preço de custo para todos, para que não haja barreiras à vacinação”, disse Jaque Sullivan, conselheiro de Segurança Nacional do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, numa entrevista ao canal de televisão ABC.

O conselheiro também garantiu que a representante do Comércio dos Estados Unidos, Katherine Tai, está a conduzir “conversas intensivas” com a Organização Mundial do Comércio (OMC) para superar o problema do acesso à vacina e realçou que haverá um “caminho a percorrer nos próximos dias”.

Os comentários de Sullivan surgem depois de um grupo de 10 democratas, liderado pelo representante da ala mais progressista, o senador Bernie Sanders, ter pedido que as empresas farmacêuticas fossem obrigadas a ceder temporariamente as patentes da vacina contra o Sars-Cov-2 para que os países que precisam delas pudessem desenvolver as suas próprias vacinas.

A suspensão temporária das patentes das vacinas foi proposta pela Índia e pela África do Sul à OMC, dois dos países que mais sofrem com o impacto da pandemia de covid-19.

“Pedimos que apoiem a adoção desta isenção temporária, que garantirá a resposta mais eficaz e eficiente a uma pandemia global, apenas vista uma vez na vida”, refere a carta dos democratas enviada a Joe Biden.

Por outro lado, Sullivan disse que Washington está “orgulhoso” do que foi feito até agora para ajudar a Índia, onde centenas de milhares de novas infeções são registadas diariamente e onde os hospitais não possuem material e medicamentos suficientes para lidar com a doença.

No entanto, o conselheiro de Biden realçou ainda que numa emergência desta magnitude se deseja sempre “poder andar mais rápido e fazer mais”.

O conselheiro lembrou que o país enviou “aviões militares de grande porte carregados de oxigénio, carregados com matérias-primas para vacinas, carregados com equipamentos que podem ajudar a salvar vidas, e lembrou que continuam a transportar ajuda” o mais rápido possível.

“Estamos preocupados com as variantes, com a propagação, com as vidas que são perdidas e também com os efeitos colaterais que podem surgir enquanto a pandemia está totalmente fora de controlo na Índia”, concluiu.

Comentários

topo