Educação

Colégio D. Diogo de Braga em quinto lugar nos resultados dos exames nacionais

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Devido à pandemia, em 2020 não houve provas do 9.º ano. No secundário, só se fizeram 16 dos habituais 20 exames e as provas não foram requisito obrigatório para concluir o ensino secundário (apenas contaram as notas internas, atribuídas pelos professores). As provas serviram apenas como específicas para ingresso no ensino superior.

O Colégio Dom Diogo de Sousa surge em quinto lugar no resultado dos exames nacionais e o Colégio Arautos do Evangelho em Guimarães num brilhante segundo lugar.

A escola pública com melhores resultados nos exames nacionais do secundário de 2020 fica no distrito de Coimbra e aparece em 34.º lugar de um ‘ranking’ elaborado pela Lusa, que analisou 512 estabelecimentos de ensino públicos e privados.

Os alunos da Escola Secundária Infanta Dona Maria, em Coimbra, realizaram 650 exames e a média das provas foi de 15,01 valores (numa escala de zero a 20), colocando o estabelecimento de ensino em primeiro lugar na lista que ordena apenas as médias nas escolas públicas e em 34.º lugar de uma tabela que junta ensino privado e público.

Em relação ao ano anterior, os estabelecimentos de ensino público voltam a descer – agora dois lugares – na tabela que prioriza as médias dos alunos nos exames nacionais do ensino secundário (no ano passado, a primeira pública ocupava o 32.º lugar), segundo uma análise realizada pela Lusa com base em dados do Ministério da Educação.

Os alunos da Secundária Eça de Queirós, na Póvoa do Varzim, obtiveram a segunda melhor média no ensino público (14,76 valores), seguindo-se a Escola Básica e Secundária D. Filipa de Lencastre, em Lisboa, segundo a tabela realizada pela Lusa, onde não aparecem as escolas secundárias com menos de 100 exames realizados.

Estes são três estabelecimentos de ensino que aparecem com frequência no topo das listas das escolas públicas com melhores resultados nos exames. Tanto a Infanta Dona Maria, em Coimbra, como a Filipa de Lencastre, em Lisboa, situam-se em bairros privilegiados das duas cidades e a maioria dos seus alunos pertence a classes socioeconómicas mais favorecidas.

No geral, as escolas públicas voltam a descer na tabela geral que compara resultados médios dos alunos de estabelecimentos públicos e privados nos exames nacionais, mas as médias subiram em relação ao ano anterior. Este fenómeno registou-se tanto nos colégios como nas escolas públicas: as médias no privado foram de 14,39 valores e no público de 12,89 valores.

Comentários

topo