Educação

Terminam hoje as aulas nos 9º, 10º e 11º anos com ‘alunos e professores exaustos’

(c) LUSA
Partilhe esta notícia!

O ano letivo termina hoje para os 9.º, 10.º e 11.º anos com “alunos e professores exaustos” e diretores a admitirem que a pandemia e o ensino remoto voltaram a impedir que todas as aprendizagens se realizassem. Aulas acabam hoje apenas para alguns alunos mas há aprendizagens perdidas

Para cerca de 240 mil alunos hoje é dia de despedidas, depois de mais um ano afetado pela covid-19 que levou a que parte das aulas voltassem a ser frequentadas sem sair de casa, através de um ecrã.

“Tendo em conta os constrangimentos que uma pandemia provoca, não se pode dizer que o ano correu mal”, defendeu o presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP), em declarações à Lusa.

Filinto Lima reconheceu, no entanto, que “as aprendizagens não se realizaram completamente”, apesar de considerar que este ano foi “melhor que o anterior, com menos aprendizagens perdidas”.

No ano letivo passado, dois em cada três professores não conseguiram abordar todos os conteúdos previstos para o terceiro período ou tiveram de fazer alterações à forma de avaliação, segundo um inquérito divulgado esta semana pelo Conselho Nacional de Educação (CNE).

Quase metade optou por reduzir o programa, 7% não deram matéria nova, enquanto outros 11% arriscaram avançar na matéria, mas depois não avaliaram os temas abordados durante o ensino remoto.

Na próxima semana, em 23 de junho, será a vez de os alunos dos 7.º e 8.º anos guardarem os manuais escolares

Na próxima semana, em 23 de junho, será a vez de os alunos dos 7.º e 8.º anos guardarem os manuais escolares e só a 8 de julho serão os mais pequenos a trocar os dias na escola pelas “férias grandes”.

Filinto Lima alertou que prolongar o período de aulas até julho “traz uma compensação apenas quantitativa, porque alunos e professores já estão muito cansados e isso repercute-se na qualidade das aprendizagens”.

O prolongamento do ano letivo implicou também uma alteração no calendário dos exames nacionais do secundário. A primeira fase será entre 2 e 16 de julho (antes era em junho) e a segunda fase no início de setembro.

O Ministério da Educação decidiu cancelar as provas de aferição, nos 2.º, 5.º e 8.º anos, e as provas nacionais do 9.º ano, que estavam marcadas para este mês.

Com Agência LUSA

Comentários

topo