Saúde

Unidades e serviços do SNS intensificam testes a utentes, acompanhantes e visitas

(c) LUSA
Partilhe esta notícia!

Os estabelecimentos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) devem intensificar os rastreios ao vírus SARS-CoV-2 a utentes, acompanhantes e visitas para identificação precoce da doença covid-19, determina um despacho hoje publicado em Diário da República.

O despacho, datado do passado dia 14 e assinado pelo secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, define que estes rastreios “são realizados, preferencialmente, com recurso a testes rápidos de antigénio (TRAg), sem prejuízo da possibilidade de realização de testes de amplificação de ácidos nucleicos (TAAN)”.

“Tendo em conta a atual situação epidemiológica, e, não obstante a já implementada realização programada e regular de rastreios, a prossecução da estratégia de medidas de desconfinamento determina a necessidade de intensificar os rastreios oportunísticos nas referidas unidades de saúde”, refere o documento.

A organização destes rastreios “não prejudica a realização de rastreios programados nos estabelecimentos e serviços do SNS, de acordo com as normas e orientações da Direção-Geral da Saúde”, acrescenta.

O despacho acrescenta ainda que a realização destes testes é assegurada pelos profissionais de saúde de cada estabelecimento ou serviço do SNS.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.884.538 vítimas mortais em todo o mundo, resultantes de mais de 179 milhões de casos de infeção diagnosticados oficialmente, segundo o balanço feito pela Agência France Presse.

Em Portugal, morreram 17.077 pessoas e foram confirmados 868.323 casos de infeção, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Com Agência LUSA

Comentários

topo