Vila Verde

PS de Vila Verde defende criação de polo universitário no edifício do IEMINHO

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Em reunião do executivo camarário, de 2 de março de 2020, foi criada uma comissão para, e transcreve-se da correspondente ata, “… estudar as possíveis soluções gestionárias para garantir o melhor modelo de funcionamento que salvaguarde o interesse público, o qual deverá estar ligado ao empreendedorismo, ao fomento da atividade económica e ao emprego”.
Escreve o Partido Socialista (PS) de Vila Verde em comunicado enviado à redação do Semanário V que, “em reuniões daquela comissão e em sede de reuniões do executivo camarário, foi repetidamente afirmado, por todos, que a finalidade a dar ao património do ex-IEMINHO deveria ser, preferencialmente, a criação de um polo de ensino superior, tendo o sr. Presidente da Câmara afirmado o seu compromisso e propósito de encetar contactos com todos os possíveis interessados, tendo sido exemplificadas algumas instituições, tais como a Universidade do Minho e o ISAVE. Na proposta que agora é apresentada é reiterado o propósito de destinar o património imobiliário e móvel do ex-IEMINHO à instalação de um polo de ensino superior e/ou de investigação no concelho de Vila Verde devendo, para o efeito, a Camara Municipal estabelecer contactos com instituições universitárias ou institutos politécnicos para o desenvolvimento de uma parceria visando atingir tal desiderato. E na mesma proposta informa ainda o sr. Presidente da Camara ter sido já encetados contactos com entidades relacionadas com o ensino superior no sentido de ali poder instalar-se um polo de ensino/formação, tendo a Universidade do Minho manifestado interesse em instalar neste edifício um projeto de formação ligado à Escola de Economia e Gestão”.

Por Carta Aberta de 30 de junho passado, do diretor da EPATV e ISAVE, tal como noticiou o Semanário V, endereçada ao executivo camarário e com pedido de divulgação junto da Assembleia Municipal, manifestando o interesse em estabelecer uma parceria com o município sobre o assunto, é possível concluir que, pelo menos até àquela data, aquela instituição de ensino superior não havia sido contactada no âmbito deste processo.

Acrescenta o PS de Vila Verde que “da leitura daquela Carta Aberta, fica reforçada a ideia da exequibilidade quanto à finalidade preferencial a dar àquele património, de um polo de ensino superior, por todos foi manifestada. Entretanto, e atentos os motivos invocados no requerimento anexo à proposta, entendemos que deverão ser acautelados os postos de trabalho existentes, pelo que se concorda com a proposta, enquanto medida temporária e excecional, de permitir a manutenção naquelas instalações do ex- IEMINHO, com o limite de 31 de dezembro, improrrogável, às empresas que, à data da sua aquisição pela Câmara Municipal de Vila Verde , se encontravam aí instaladas”.

Comentários

topo