Viana do Castelo

Exposição mostra qualidade de ensino e criatividade dos alunos do IPVC em Viana

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Exposição “plastecno” do curso de Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas da Escola Superior de Educação (ESE) do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) foi inaugurada hoje, na Oficina Cultural da instituição, pelo presidente do IPVC, Carlos Rodrigues. A Mostra estará patente em cinco locais da cidade até 8 de outubro.

Alunos finalistas da licenciatura em Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas da Escola Superior de Educação (ESE) do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) apresentam trabalhos em pintura, em escultura, em vídeo e em fotografia. O presidente do IPVC, Carlos Rodrigues, que participou hoje na cerimónia de abertura da exposição “plastecno”, na Oficina Cultural, mostrou-se “orgulhoso” com o resultado final dos jovens artistas, desejando-lhes “as maiores felicidades e sucesso”.
Para além da Oficina Cultural, a exposição “plastecno”, que estará patente até 8 de outubro, pode ser apreciada nos Serviços Centrais do IPVC, na Casa Manuel Espregueira, na Casa Melo Alvim e na Galeria do Noroeste da Fundação Caixa Agrícola do Noroeste.
A exposição “plastecno” dos alunos finalistas da licenciatura em Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas mostra “a qualidade do ensino nesta área e a criatividade dos alunos”, confirmou o presidente do IPVC, Carlos Rodrigues. “Atrevo-me a dizer que estamos perante uma exposição arrojada em todos os sentidos. Somos efetivamente muito bons naquilo que fazemos”, assumiu o presidente.
A exposição é o resultado final de três anos de aprendizagem dos alunos do curso. “Mas uma aprendizagem que não pode, nem deve terminar por aqui. Daí o desafio para que continuem este vosso caminho de aprendizagem e de liberdade criativa”, apelou.
A aposta nas artes é um “eixo estruturante” da instituição, cuja aposta “sólida e consolidada”, tem ganho nos últimos tempos “uma nova animação e projeção no panorama científico, educativo, artístico e cultural da região e do país, através da licenciatura em Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas, num modelo arrojado e desafiador que combina na perfeição conhecimento, tecnologia, prática, criatividade e inovação”, assegurou, entretanto, o diretor da ESE, César Sá.

Esta exposição dos estudantes finalistas, continuou o diretor da ESE, “é uma prova inequívoca da vitalidade do curso” e dá à escola “esta matriz identitária ligada às artes”.
Os trabalhos presentes na mostra “plastecno” exemplificam uma diversidade de abordagens artísticas individuais que formam um coletivo. Trata-se da apresentação dos trabalhos autorais realizados pelos alunos finalistas (na unidade Curricular de Projeto Artístico) como “um verdadeiro projeto artístico de final de curso – é o culminar de três anos de trabalho/aprendizagem nos diversos laboratórios, ateliers/oficinas da ESE”, explicou o coordenador da licenciatura, Francisco Trabulo.
São diversas as propostas artísticas, técnicas e conceptuais presentes nas salas das instituições que abrem portas a esta mostra. “É perfeitamente visível, nos projetos de muitos destes jovens artistas, algumas tendências que remetem para linhas investigativas muito pertinentes no âmbito da arte contemporânea”, sublinhou ainda o coordenador.
Há em algumas das obras autorais presentes “um pensar artístico e plástico que evidencia resultados de dinâmicas alcançadas com o contributo dos três anos de estudo na licenciatura em Artes Plásticas e Tecnologias Artísticas”, referiu ainda Francisco Trabulo, acreditando que se está perante estudantes que “serão futuros artistas nas artes visuais em Portugal”.

Comentários

topo