País

Covid-19. Liberais defendem desconfinamento “mais rápido” e “mais próximo”

(c) LUSA
Partilhe esta notícia!

O presidente da Iniciativa Liberal defendeu hoje um desconfinamento do país “mais rápido” e “mais próximo”, considerando que “pela primeira vez desde que a pandemia foi declarada” o país tem de colocar “a liberdade à frente da segurança”.

“Na nossa opinião, com os dados devidamente afinados, devíamos estar a preparar um desconfinamento muito mais rápido, muito mais próximo”, declarou João Cotrim de Figueiredo, à saída de uma audiência presencial com o Presidente da República, no Palácio de Belém.

Concretamente, o deputado liberal defendeu que esse desconfinamento deve refletir-se “nos horários do comércio, na exigência de certificados digitais, na abertura dos estádios e de outros recintos”.

“Temos que voltar a viver mais normalmente porque isso está a afetar a economia e a saúde das pessoas”, advogou.

15h25 – Irlanda reabre espaços fechados da restauração para pessoas com certificado digital

O setor da restauração na Irlanda começa hoje a atender, em ambientes fechados, clientes completamente vacinados, medida que permitirá a muitos bares e restaurantes reabrirem as suas portas pela primeira vez desde março 2020.

Os responsáveis pelos estabelecimentos devem verificar se os clientes possuem o certificado digital covid-19 da União Europeia (UE), que comprova que estão imunizados pela vacina ou que tiveram a doença nos últimos seis meses.

Menores de 18 anos não vacinados também terão acesso ao interior se estiverem acompanhados por adultos, de acordo com a nova lei elaborada pelo Governo de Dublin para colocar em prática esta fase do relaxamento do confinamento decretado em janeiro passado.

Em bares e restaurantes, o máximo permitido por mesa é de seis pessoas e, embora não haja limite de tempo para a permanência, todos os estabelecimentos devem encerrar as portas às 23:30.

Comentários

topo