País

André Ventura: “Para o governo a pandemia é o pretexto para não se fazer campanha e oposição” – C/ Vídeo

Partilhe esta notícia!

André Ventura, presidente do Chega declarou ontem que vai utilizar todos os “instrumentos legais” para provar a sua inocência e disse não compreender a acusação de desobediência civil do Ministério Público, na sequência de um jantar-comício em Braga.

Hoje, através de um vídeo publicado em direto no facebook diz que responderá “junto das instituições quando tiver que responder. O Ministério Público acusa-me de desobediência às regras da pandemia. Nós procuramos cumprir todas as regras, estávamos em campanha eleitoral – presidencial – e tivemos até o aval da Direção-geral da Saúde. Procuramos cumprir as regras que tínhamos que cumprir e procuramos estar junto das populações.”

O líder do Chega tece ainda críticas ao governo socialista liderado por António Costa: “Eu sei que para o governo a pandemia é o pretexto e a desculpa para não se fazer campanha e não se fazer oposição. Nós decidimos fazer, era um evento político, estávamos numa campanha eleitoral, tínhamos de fazer política. Tínhamos de fazer chegar a indignação de restaurantes, do comércio, da indústria, do turismo, das forças de segurança, às pessoas. E por isso, eu responderei em tribunal por esta acusação que me parece injusta, injustificada, mas que lá estarei por respeitar as instituições.”

Ventura diz continuar “a entender que este é um processo que era desnecessário, mas como em todos os momentos da vida há que respeitar as instituições, por isso lá estarei para o fazer.”

Comentários

topo