Curiosidades

Lucas Fernandes de Vila Verde abre ‘hells table’ no Gerês este verão

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Francisca Dias foi a grande vencedora do primeiro ‘Hell’s Kitchen Portugal’, resultado que não agradou nem um pouco ao seu grande rival, Lucas Fernandes de Vila Verde que mostrou o seu desagrado.

Sem ‘papas na língua’, o cozinheiro afirmou numa entrevista que o seu objetivo nunca foi fazer amigos, mas sim competir. Lucas nota que se sente realizado a nível pessoal pela experiência, confessando, no entanto, que não voltaria a repeti-la.

O concelho de Vila Verde esteve representado representado na edição portuguesa do famoso programa Hell’s Kitchen. Lucas Fernandes foi um dos 16 concorrentes selecionados entre largas centenas de candidatos e trabalhou na cozinha do inferno preparada pela SIC, sob o tridente flamejante do endiabrado Chef Ljubomir Stanisic. O programa arrancou a 14 de março e terminou este domingo dia 6 de junho.

Lucas Fernandes levou longe o nome de Vila Verde no ‘Hell’s Kitchen Portugal’

Além de ser o único vilaverdense no Hell’s Kitchen, Lucas Fernandes é também o único concorrente que já não estava no ativo. Nascido na Vila do Pico de Regalados, emigrou para a Alemanha em tenra idade e foi em terras bávaras que completou o seu percurso educativo e se formou em cozinha.

Cedo deu nas vistas pela habilidade na cozinha, complementada por um caráter responsável, profissional e diligente. O reconhecimento não tardou. Trabalhou em hotéis 5 estrelas, como o Steigenberger Hotel – Gstaad-Saanen, o Palácio Gstaad e o Brenners Park – Hotel & Spa (restaurante com duas estrelas Michelin), e a bordo do melhor navio de cruzeiro do mundo, o Europa 2, entre outros. Foi também proprietário de dois restaurantes de nome próprio em solo alemão, o Rabatos e o Rabatos Nº2.

Em 2019, regressou a Portugal para se estabelecer como empresário. Fundou a Finesseleague, uma empresa que se dedica à comercialização de carnes maturadas, mantendo uma ligação próxima com o universo da gastronomia, que foi o seu ‘lar’ durante mais de uma década. Depois, criou a Vintage Sequence, uma empresa de pecuária sustentável que se dedica à criação de raças muito raras no nosso país, como os bovinos Wagyu e os suínos Mangalitsa.

Entretanto, ‘estalou’ uma pandemia. O confinamento marcou a reaproximação e o ‘bichinho’ da cozinha começou a roer. A chegada do Hell’s Kitchen a Portugal foi juntar a fome à vontade de comer, reacendendo uma chama que nuca se extinguiu verdadeiramente.

Agora chegou um novo desafio. O Gerês… em breve mais informações acerca do novo desafio de Lucas Fernandes.

Veja o vídeo… aqui

Comentários

topo