Vila Verde

Vila Verde. Sandra Ribeiro apanha lixo de forma voluntária na praia da Malheira

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Sandra Ribeiro moradora em Soutelo, concelho de Vila Verde, fez ações de limpeza na praia fluvial da Malheira em Sabariz, onde apanhou lixo variado nas margens do rio Homem nesta praia fluvial.

Fotos: Direitos reservados

Em declarações em exclusivo ao Semanário V, Sandra Ribeiro refere que “a Praia Fluvial da Malheira em Sabariz Vila Verde Braga, é um local lindíssimo da minha preferência, com bons acessos na qual me sinto segura. Tem um caudal de rio relativamente baixo o que me dá a segurança necessária para o meu filho poder usufruir á vontade. Com uma extensa zona verde das duas margens, parque para crianças e com bares de apoio quer seja do lado de Vila Verde ou de Amares.
Este ano tomei a iniciativa de fazer uma ação de voluntariado ambiental, para limpar a Praia Fluvial da Malheira, em Sabariz Vila Verde.
Preservar a natureza, através da limpeza das margens, do rio e da zona verde é um dos nossos objetivos para a recolha de lixo. É de lamentar a falta de civismo do ser humano em deixar o local neste estado e por vezes colocar a Saúde Pública em risco. Um dos exemplos mais graves foi encontrar uma garrafa estilhaçada no meio do rio onde as crianças brincam frequentamente.
O meu marido tomou a iniciativa de comprar uma pinça para recolha de resíduos.
Esta segunda-feira recolhemos um saco de 100ml de lixo, resultado de uma breve limpeza no rio da Malheira, após um domingo chuvoso. Este lixo foi deixado pelos frequentadores desta praia fluvial entre o final da semana passado e hoje.
De constatar que o lixo em maior número são capas de plástico de pacotes de sumo, leite, iogurtes, tampas, caricas, máscaras, copos de plástico, toalhetes, fraldas de bebé, papéis de gelados, garrafas de plástico, guardanapos, beatas de cigarro, sacos de plástico, roupas rasgadas entre outros.
Vamos ter mais atenção a este tipo de poluição, quer para o bem presente como para o futuro dos nossos descendentes.
Se cada um fizer a sua parte, tudo se torna mais fácil!
“Não há margens para dúvidas” é o lema desta nossa iniciativa, que assume o propósito de ser um exercício pessoal e de voluntariado da consciencialização ambiental.

Comentários

topo