País

“Juntos por um trânsito mais seguro”, campanha de sensibilização já lançada

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

A RNA Assistência, com o objetivo de contribuir para a diminuição dos acidentes nas estradas, acaba de lançar a campanha de consciencialização nacional “EU SOU RESPONSÁVEL NO TRÂNSITO, E VOCÊ? Seja também! Partilhe esta ideia”, em parceria com a agência Abreu, uma agência de viagens com mais de 180 anos de história.

Para participar na divulgação será apenas necessário aceder às redes sociais do Grupo, via Facebook e/ou Linkedin e partilhar o mote da campanha de responsabilidade social nas suas redes sociais.

Para David Moita, CEO da RNA Assistência “Temos como missão proteger as pessoas e os seus bens, e esta campanha é mais uma prova de que estamos comprometidos com o nosso propósito. A RNA quer gerar reflexões e incentivar os seus públicos e sociedade sobre o que é de facto ser responsável no trânsito e como podemos contribuir para uma redução no número de acidentes em Portugal. Uma campanha pensada e alinhada ao nosso negócio e que teve o apoio da ABREU uma grande parceira da RNA. Juntos vamos unir esforços por um trânsito mais seguro para todos.”, concluiu o responsável.

A sinistralidade rodoviária continua a suscitar, na União Europeia, medidas para a sua contenção. Embora seja a região mais segura do mundo em relação à segurança rodoviária, a Europa quer reduzir o número de mortes nas estradas. A meta da Declaração de Estocolmo Sobre Segurança nas Estradas é reduzir para metade as mortes e os ferimentos no trânsito até 2030.

Portugal, como Estado-membro, está a definir a sua Estratégia Nacional de Segurança Rodoviária 2021-2030 – Visão Zero 2030, alinhada com a política da Comissão Europeia 2021-2030, com a Declaração de Estocolmo e com a abordagem do Sistema Seguro.

Boas atitudes salvam vidas. Escolha o caminho mais seguro!

Sinistralidade em números

Em 2020, Portugal continental registou 26 501 acidentes com vítimas, com 390 mortes ocorridas no local do acidente ou durante o transporte até à unidade de saúde, 1 829 feridos graves e 30 706 feridos ligeiros.

Comparativamente com 2019, os números da sinistralidade rodoviária baixaram, devido principalmente a uma significativa redução na circulação de veículos imposta pelas medidas de confinamento durante a pandemia de Covid-19, porém as estatísticas são ainda são alarmantes.

Dos resultados obtidos, o excesso de velocidade foi o principal motivo das infrações (62,9%) e a única ocorrência que registou um aumento (14,5%) em relação a 2019. Todos os outros tipos de infração apresentaram uma redução: tais como a não utilização de sistemas de retenção (-55,7%), excesso de álcool no sangue (-46,2%), uso de telemóvel durante a condução (-24,7%), ausência de cinto de segurança (-24,4%) e falta de inspeção periódica obrigatória (-18,2%).

Comentários

topo