Viana do Castelo

Alunos do Politécnico de Viana do Castelo dão conselhos de jardinagem on-line

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

No final do segundo semestre do ano letivo que terminou, oito alunos da licenciatura em Agronomia da Escola Superior Agrária (ESA) do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) promoveram o Consultório de Jardinagem on-line. Para além de se pretender ajudar as pessoas, esclarecendo dúvidas e dando conselhos sobre os jardins, a atividade tem um “objetivo pedagógico”. “No final do semestre, os alunos já têm mais noção do trabalho e podem responder de forma mais profissional às questões que são colocadas”, justificou a professora responsável, Gabriela Dias, assegurando que o Consultório de Jardinagem regressa no próximo ano letivo.

Unidade Curricular de Construção e Gestão de Espaços Verdes

A ideia de criar um Consultório de Jardinagem on-line surgiu no final do ano letivo passado no âmbito da Unidade Curricular de Construção e Gestão de Espaços Verdes. Os oito alunos criaram um formulário on-line, onde as pessoas podiam colocar as dúvidas e pedir esclarecimentos, tendo ainda a possibilidade de incluir fotografias. Com esta iniciativa on-line pretendia-se “responder a todo o tipo de questões relacionadas com o design de jardins, a escolha de plantas e de outros materiais inertes, o modo de execução de intervenções concretas e cuidados de manutenção em geral”, explicou a professora Gabriela Dias.
Este projeto-piloto, que terminou no final do mês de julho, tem como base “envolver os alunos” de forma a “ajudar as pessoas com os conhecimentos e aprendizagens que vão adquirindo nas aulas”, referiu ainda a professora responsável.
Apesar da pouca procura, Gabriela Dias destacou a importância desta iniciativa para os alunos. “Os nossos alunos estavam alerta para responder a todas as questões que surgissem através do formulário que foi criado”, garantiu a professora, defendendo que se trata de “uma ideia interessante”, mas que precisa “ser mais divulgada para chegar às pessoas”. A docente da ESA-IPVC acredita que “há muitas pessoas que gostariam de ser ajudadas, mas a informação não chegou até elas”. Trabalhar à distância acaba sempre por “ser mais complicado”, lamentou Gabriela Dias, referindo que, com a pandemia, “as pessoas também estão saturadas de tanta informação”. Mas a vontade de continuar o projeto no próximo ano letivo “é enorme”, no entanto, a divulgação terá que ser diferente. “Promovemos, durante uma feira profissional de espaços verdes em Ponte de Lima, o consultório de jardinagem. Foi muito interessante. Numa feira há sempre público e presencialmente as pessoas perguntam e o diálogo é completamente diferente. À distância é mais complicado e teremos que ajustar este nosso balcão digital, mas o objetivo é continuar e procurar melhores soluções”, assumiu.
Para os alunos também ficou a experiência. “Para todos eles fica a experiência, que é muito importante para o futuro e quem sabe até podem criar este tipo de dinâmicas enquanto profissionais”, desafiou Gabriela Dias.

Comentários

topo