País

Mais 1.822 infeções, seis mortes e menos doentes internados com Covid-19

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 1.822 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, seis mortes atribuídas à covid-19 e uma redução nos internamentos com a doença.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) estão hoje internadas 681 pessoas com covid-19, menos 14 do que na quinta-feira, 136 das quais em unidades de cuidados intensivos, menos quatro nas últimas 24 horas.

A área de Lisboa e Vale do Tejo, com 586 novos casos e a região Norte, com 630, têm 66,7% do total das novas infeções verificadas nas últimas 24 horas.

As mortes ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo (2), na região Norte (1) e na região Centro (3).

Relativamente às idades das vítimas, quatro tinham mais de 80 anos, uma entre os 70 e os 79 e uma entre os 60 e os 69.

Sobre a caracterização etária dos novos casos de infeção confirmados, é nos jovens entre os 20 e os 29 anos (homens e mulheres) que se registaram mais casos, com mais 397 infetados nas últimas 24 horas.

Seguem-se as faixas etárias entre os 10 e os 19 anos (312 novos casos) e entre os 30 e os 39 anos (255 novos casos).

Os dados divulgados pela DGS mostram também que há menos 648 casos ativos, totalizando 43.309, e que 2.464 pessoas foram dadas como recuperados nas últimas 24 horas, o que aumenta o total nacional para 983.063 recuperados.

Desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram em Portugal 17.772 pessoas e foram registados 1.044.144 casos de infeção.

As autoridades de saúde têm em vigilância nas últimas 24 horas menos 533 pessoas, totalizando 43.520.

A região de Lisboa e Vale do Tejo, com a notificação de 586 novas infeções, contabiliza até agora 404.864 casos e 7.599 mortos.

Na região Norte foram registadas 630 novas infeções por SARS-CoV-2, totalizando 401.833 casos de infeção e 5.514 mortes desde o início da pandemia.

Na região Centro registaram-se mais 297 casos, acumulando-se 139.268 infeções e 3.100 mortos.

Comentários

topo