Braga

PAN quer oferta de serviços veterinários acessíveis no canil municipal de Braga

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Os candidatos do PAN à Câmara Municipal, Rafael Pinto e à Assembleia Municipal, Tiago Teixeira, visitaram esta quinta-feira o Centro de Recolha Oficial de Animais de Braga (CROA), em conjunto com filiados e com a administração da AGERE.

Os objetivos da visita passaram por “perceber a evolução nas condições de bem-estar animal e nas políticas adotadas no Centro, bem como abordar temas como o regresso dos voluntários e a construção de um novo CROA”.

Em relação à construção de um novo CROA, Rafael Pinto afirma que “Infelizmente sabemos que esta proposta só foi lançada com justificações de ruído para as populações envolventes e não com base no bem-estar animal. No entanto, também defendemos a criação de um novo espaço que permita melhores condições para os animais, como espaços abertos naturais, para que estes não passem os dias fechados em boxes”.

No que toca à localização, o PAN mostra-se receoso com a “construção em zonas de difícil acesso para a população e voluntários”, alertando que “um problema fora de vista não deixa de ser um problema e não podemos permitir que a possível distância afaste os cidadãos desta causa ou dificulte o voluntariado”.

De entre as várias propostas para o bem-estar animal no programa do partido, o candidato adiantou que quer criar uma oferta médico-veterinária acessível no CROA, defendendo que “ninguém pode ser privado de prestar auxílio ao seu animal por razões económicas”. Ainda neste tema, o PAN defende que também as esterilizações desenvolvidas no âmbito do programa CED, devem ser realizadas por estes serviços, reduzindo assim os custos para a autarquia”.

“Com estes serviços teremos que contratar mais médicos veterinários e possivelmente criar uma equipa em exclusividade no CROA”, afirma Rafael Pinto.

O candidato termina salientando que “quanto ao regresso dos voluntários contestamos mais uma vez a resposta tardia por parte da AGERE e defendemos o alargamento dos horários, em pós-laboral e aos fins de semana, quando há maior disponibilidade dos cidadãos efetuarem o voluntariado”.

Comentários

topo