Mundo

O sonho de ser milionário: conheça o perfil do apostador português

Partilhe esta notícia!

Os jogos de azar estão presentes nas sociedades há séculos e continuam fortemente enraizados, sendo transversais às várias gerações. Por um lado, as gerações mais velhas mantêm a tendência para apostar nos jogos tradicionais ao passo que as gerações mais novas são mais atraídas pelas apostas online.

Confira abaixo a forma como a população portuguesa se enquadra nos vários jogos de azar.

Jogos de azar online

Em média, os portugueses apostam 2.4% dos seus rendimentos nos casinos online, o que nos classifica como apostadores modestos, em comparação com os congéneres europeus. No topo da lista dos apostadores que acumulam mais perdas – e muito provavelmente os que mais investem no jogo online – estão a Itália, a Irlanda e a Finlândia.

Os número de novos registos nos diversos casinos online em Portugal aumenta significativamente ano após ano. Porém, o montante médio apostado por cada português não acompanha o ritmo dos novos registos, o que indica que os jogadores tendem a registar-se em múltiplos casinos – provavelmente para beneficiar dos bónus de casino que os operadores oferecem aos novos jogadores.

Embora existam jogadores profissionais em Portugal, uma parcela muito significativa dos jogadores portugueses são apostadores de pequena e média dimensão, o que faz de Portugal um país menos propício para  a prevalência de casinos para high-rollers – isto é, casinos para grandes apostadores.

Apostas desportivas

Portugal é um país de futebol e é com naturalidade que as apostas desportivas são altamente populares em território nacional. Não obstante os portugueses apostem entusiasticamente nos eventos desportivos, a regulamentação portuguesa torna as apostas desportivas em Portugal menos competitivas em relação ao praticado em outros países europeus. Este facto, leva a que muitos apostadores metódicos optem por não apostar nas casas portuguesas devido à menor rentabilidade e maior exposição ao risco.

Dito isto, as apostas «recreativas» são abundantes em Portugal. As gerações mais velhas tendem a apostar nos formatos em papel (Placard e Totobola), ao passo que as gerações mais novas são fãs das apostas online. As apostas online permitem uma panóplia de apostas muito mais abrangente, além da possibilidade de apostar em eventos em direto, maior gama de eventos desportivos, entre outras inúmeras vantagens.

Em 2020, os portugueses gastaram 808 milhões em apostas desportivas, valor que representa um crescimento de 48% em relação a 2019. Este valor é altamente surpreendente, tendo em conta a interrupção das competições em 2020 devido à pandemia.

Euromilhões

O Euromilhões é o rei das apostas em Portugal. Esta preferência é facilmente explicável e óbvia: o potencial retorno (prémio mínimo de 17 milhões de Euros) é extremamente elevado comparativamente ao custo (2,50€) da aposta. O primeiro prémio do Euromilhões torna este sorteio num jogo de azar de alta volatilidade, fator que é muito procurado por jogadores experientes noutros jogos de azar. Um jogo de azar com alta volatilidade carateriza-se por proporcionar prémios com pouca frequência, porém proporciona prémios massivos. Muitos dos websites dedicados aos jogos de azar explicam este fenómeno e a forma como a volatilidade alta permite contornar a matemática dos jogos de azar… se o apostador for bafejado pela sorte.

Em Portugal, o primeiro boletim premiado com o primeiro prémio do Euromilhões foi ganho em 2004, garantindo 43 milhões de euros aos titulares do talão vencedor.

O número de apostas registadas no Euromilhões oscila em função do prémio máximo. Por norma, o número de apostas registadas em Portugal varia entre 1.5 e 2.5 milhões de apostas quando o primeiro prémio é «baixo», podendo atingir os 5 milhões de apostas quando estão em jogo jackpots bem avultados.

 

 

Comentários

topo