Vila Verde

Vila Verde. Fernando Silva (Feitor) eleito vereador para a Câmara pelo Chega

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Fernando Silva foi eleito como vereador da Câmara Municipal de Vila Verde e faz história nas eleições autárquicas em Vila Verde. Na primeira vez que o Chega concorre às eleições autárquicas em Vila Verde consegue eleger um vereador para o executivo da Câmara Municipal de Vila Verde.

O Semanário V falou com Fernando Silva (Feitor) que falou sobre a sua eleição e acerca das eleições autárquicas que foram ‘históricas’ para o Chega nacional e em Vila Verde.

Entrevista ao Vereador do Chega Fernando Silva (Feitor)

O Fernando Silva foi eleito vereador numa das eleições onde Partido Socialista alcançou dos piores resultados da história democrática em Vila Verde.

(V) Os resultados das Autárquicas 2021 em Vila Verde surpreenderam-no? Ou estava à espera deste resultado?

Fernando Silva (FS) – Estou muito feliz com este resultado mas não me surpreende, eu estava confiante em ganhar ou pelo menos ficar com 2 ou 3 vereadores. Achei que os vilaverdenses iam dizer não a esta monarquia instalada, enganei-me. Só 3192 querem de facto uma mudança. A esses nunca os irei desiludir. A nossa luta continua até chegarmos a uma grande vitória.

– O Chega tem neste momento um vereador na Câmara de Vila Verde e iguala o Partido Socialista. Sente que ganhou o eleitorado descontente?

Fernando Silva (FS) – Eu tinha dito que o candidato do PS andava a fazer campanha para o PSD e vendo os resultados de um e do outro, fico com a sensação de que não me enganei.
Ganhei o eleitorado descontente e algum do PS, do PSD e CDS. A grande abstenção e votos brancos foram nossos “inimigos”.
Agora vamos trabalhar para fixar esse eleitorado no nosso partido.

– Para a Assembleia Municipal o Chega elegeu 4 deputados num resultado que coloca o partido como terceira força na Assembleia. Sente que este pode ser o início de uma caminhada rumo à vitória em 2025?

Fernando Silva (FS) – Sem dúvida, eu, a doutora Daniela, o Daniel, o doutor José Luís e a Elisabete vamos trabalhar para mostrar aos vilaverdenses que este partido tem gente capaz para assumir a Câmara Municipal.
É pelo povo que vamos trabalhar.
Temos muito trabalho pela frente nestes próximos 4 anos, se for bem feito chegaremos à vitória em 2025.

– O PSD teve uma subida de votação residual das eleições de 2017 para as de 2021. Acha que se o Chega apostar em candidaturas nas assembleias de freguesia poderá vencer juntas de freguesia nas próximas eleições?

Fernando Silva (FS) – O PSD subiu em percentagem mas até caiu em número de votos.
Apesar de tudo foi o grande derrotado da noite ao perder juntas como Aboim da Nobrega e Gondomar, Parada de Gatim, Oleiros e Atiães.
Vamos começar já a trabalhar para tentar ir ao máximo de Assembleias de Freguesia, porque também sabemos que com mais candidaturas às freguesias os resultados na câmara são melhores.
E ganhar algumas destas juntas será uma realidade.

– Qual foi o ingrediente chave para o ‘sucesso’ da sua votação?

Fernando Silva (FS) – O trabalho que tenho vindo a fazer desde 2013, e o trabalho da minha equipa desde 2019, o contacto com as pessoas e a visita às suas freguesias. Ser uma pessoa comum e sem vaidade, comunicativa e alegre é também um dos principais ingredientes. Foi também que durante a campanha a população percebeu que eu e a minha equipa somos do povo e queremos trabalhar para o povo. No Chega em Vila Verde não há elites.

– O seu resultado é um dos maiores do partido Chega a nível nacional. André Ventura já o felicitou?

Fernando Silva (FS) – Estou muito feliz por ter obtido um dos maiores resultados do partido a nível nacional. No entanto, André Ventura ainda não me felicitou, é natural, ainda passou um dia e deve ter bastante trabalho a analisar os resultados, mas acredito que ainda o irá fazer.

Comentários

topo