Vila Verde

4 dias para digerir derrota. Esquível felicita Júlia Fernandes pela eleição

Partilhe esta notícia!

António Esquível Gomes, autarca de Cabanelas, era o candidato do Partido Socialista à Câmara Municipal de Vila Verde. Sofreu uma pesada derrota na noite eleitoral do passado domingo, elegendo apenas um lugar de vereador.

O PS passa assim de três para apenas um vereador, perdendo quase 50% do seu eleitorado. Recorde-se que em 2017, na corrida à Câmara Municipal encabeçada por José Morais, os socialistas obtiveram 10.358 votos. Esquível, este ano, ficou-se pelos 5.444, perdendo assim dois lugares na vereação.

O candidato socialista utilizou a sua conta na rede social facebook para congratular Júlia Fernandes pela vitória: “Terminado o processo eleitoral autárquico, endereçamos as felicitações à Dra. Julia Fernandes pela sua eleição.”

Aproveitou ainda para agradecer aos vila-verdenses que lhe “confiaram o seu voto” e assegura:  “trabalharemos durante os próximos 4 anos, apresentaremos propostas e soluções em todas as áreas que considerámos prioritárias nesta campanha. Estaremos nos órgãos municipais e no terreno, afirmando a nossa abertura para convergências políticas que permitam reforçar uma visão conjunta de cidade.”

Esquível, com a certeza que “este resultado não é nenhum ponto de chegada. É um ponto de partida”, afirma:  “o trabalho começa agora.”

Esquível até em Cabanelas perde para o PSD – “Cavalo de Tróia” foi um sucesso?

António Esquível Gomes perdeu até na própria freguesia em que era autarca. Cabanelas passa assim para o comando da estrutura laranja com a vitória de Anabela Rei. No total, o PSD obteve 659 votos e o PS de Cristóvão Martins, 512.

Recorde-se que em junho deste ano, em declarações ao “jornal” O Vilaverdense, Esquível assumiu que estaria a “ser pressionado a aceitar [ser candidato] há já algum tempo” e entendia ter “a obrigação de ajudar”. Esta posição, bem como o nome de Esquível, não eram consensuais no seio do Partido Socialista. Conforme noticiou o V, havia quem apontasse o dedo a Joaquim Barreto, líder da Distrital, e havia também quem considerasse que o nome de Esquível surgia como um “Cavalo de Tróia”. Na origem desta desconfiança estariam os negócios da empresa de António Esquível “O Ferrolho” – ligada ao comércio de ferragens – com o Município de Vila Verde.

O Semanário V solicitou resposta a algumas questões sobre o resultado da candidatura a António Esquível Gomes mas, ao contrário do que sempre aconteceu no período antes da noite eleitoral, o mesmo escusou-se a responder.

António Esquível é o candidato do PS à câmara de Vila Verde

 

Comentários

topo