Mundo

Covid-19.Erro em laboratório britânico poderá ter provocado 43 mil falsos negativos

(c) LUSA
Partilhe esta notícia!

Cerca de 43 mil pessoas poderão ter sido informadas erradamente de que não sofriam de covid-19 devido a problemas num laboratório privado no Reino Unido, anunciaram hoje autoridades de saúde britânicas.

O Departamento de Saúde Pública do Reino Unido disse que as atividades do laboratório de Wolvewrhampton, no centro de Inglaterra, foram suspensas após relatos sobre “falsos negativos”.

Os resultados falsos constavam dos testes analisados pelo Immensa Health Clinic Lab desde o princípio do mês de setembro e o início desta semana.

“Cerca de 400 mil amostras foram analisadas pelo laboratório, a grande maioria das quais mostrava resultados negativos, mas cerca de 43 mil pessoas podem ter recebido resultados incorretos dos testes PCR que resultaram negativos”, disse o organismo sublinhando que se trata de uma população localizada, sobretudo, no sul de Inglaterra. A autoridade sanitária diz que se trata “de um incidente isolado atribuído a um laboratório” e que as pessoas afetadas podem vir a ser contactadas para efetuarem um novo teste.

Por outro lado, em West Berkshire Council, Inglaterra, responsáveis locais comunicaram que as pessoas que apresentaram testes negativos depois de análises efetuadas em Newbury Showground, em instalações administradas pelos serviços públicos, entre os dias 03 e 12 de outubro devem ser testadas novamente.

No Reino Unido são efetuados cerca de um milhão de testes anti covid-19 diariamente.

Desde a semana passada que são contabilizados mais de 40 mil casos de infeção de SARS CoV-2 por dia no Reino Unido.

A covid-19 provocou pelo menos 4.870.405 mortes em todo o mundo, entre mais de 239 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Comentários

topo