Vila Verde

Vila Verde. Militar da GNR julgado por ameaças de morte a juíza e procuradores

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Um guarda da GNR está a ser julgado, em Braga, por ameaçar de morte três magistrados da Comarca de Vila Verde, uma
juíza e dois procuradores, intervieram numa condenação anterior, por incidentes, a tiro, na freguesia de Atiães, em Vila Verde.

O arguido, Carlos Pereira Lima, de 38 anos, que prestava serviço no Posto Territorial de Vila Verde da GNR, responde por um total de 66 acusações de crimes de perseguição e de difamação, ambos agravados, por ameaças de morte e insultos proferidos pessoalmente a através das redes sociais, a dois procuradores da República da Comarca de Vila Verde, Ana Isabel Peixoto e Nuno Filipe Ferreira, bem como à juíza Alda Sá Faustino.

Ameaças que foram extensivas às filhas da magistrada judicial, dizendo-se “injustiçado” pela condenação.

A psicóloga Sílvia Monteiro, que o acompanhava, ao aperceber-se das intenções cada vez mais insistentes do guarda da GNR, Carlos Pereira Lima, de molestar os três magistrados, derrogou o sigilo profissional e comunicando-lhes o perigo que corriam com o militar.

Nos últimos dias antes da detenção, em finais do mês de abril deste ano, após perseguir os três magistrados, no percurso entre o parque estacionamento e o acesso ao Palácio da Justiça de Vila Verde, passou a assistir a todos os julgamentos em que intervinham, ao mesmo tempo que exigia ao secretário judicial a retirada do fresco da sala de audiências, onde constam os Dez Mandamentos.

Na ótica do militar, um Estado Laico como Portugal não deveria ter motivos religiosos nos Tribunais, o que o levou a questionar aquele aspeto.

Quarteira – Militar da GNR salva mulher na praia de Quarteira

Carlos Lima, era militar do Sub-destacamento Territorial de Quarteira e salvou durante a madrugada de hoje, dia 02 de abril de 2015, na praia de Quarteira, uma cidadã que se encontrava em afogamento.
Os militares de Quarteira, assim que tiveram conhecimento da situação, enviaram de imediato uma patrulha para o local, tendo acompanhado também a ocorrência, um militar que já havia saído de serviço, mas que possuía conhecimentos na área do socorro a náufragos, o militar, não se coibiu e procedeu ao salvamento da senhora de 40 anos que já se encontrava desgastada e em grandes dificuldades. Foram dispensados os cuidados médicos necessários, e a senhora encontra-se neste momento bem de saúde.

Comentários

topo