Vila Verde

Câmara quer gastar quase 1 milhão no parque de Gême sem empresas nem acessos

(c) Semanário V
Partilhe esta notícia!

A câmara de Vila Verde lançou um concurso público para expandir a área de acolhimento empresarial para Pico de Regalados, Gondiães e Mós. Com um valor base a rondar os 945 mil euros, o projeto prevê ocupar uma área de mais de 30 mil metros quadrados, para criação de oito lotes, segundo o Terras do Homem.

Fotos: © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

Parque Industrial de Gême – 08.02.2021 © PMM / Semanário V

A área de construção será de nove mil metros quadrados e a área ocupada pelos lotes superior a 24 m2. A áreas e lotes atualmente existente encontra-se em estado degradado, com passeios partidos, acessos sem condições para pesados de mercadorias e zonas no parque industrial em total abandono.

Vila Verde. Parque Industrial de Gême ao abandono pela Câmara Municipal

Este parque industrial tem trazido problemas com obras inacabadas, falta de acessos rodoviários com deficiências e obstruídos com buracos e na entrada para a Estrada Nacional 101 a falta de uma rotunda ou alternativa traz transtornos a camionistas que diariamente têm que fazer manobras no cruzamento de entrada para este parque industrial.

Ao que o Semanário V constatou no local na altura, as fundações de um dos lados do passeio e zona de estacionamento da via mais a norte do parque estavam a aluir, estando já o passeio “cortado” pela metade com uma frincha que fez aluir em meio metro parte daquela infraestrutura, dividindo-a ao meio. A parte que cedeu está encostada a um muro de 50 metros que protege as empresas sediadas no parque inferior, sob a sombra do mesmo muro que ameaça ruir.

O Parque Industrial de Gême que António Vilela desconhece

Na altura dos primeiros aluimentos, a administração da empresa Grupo DG, única sediada na parte superior daquele parque industrial, contactou a Câmara de Vila Verde, que enviou funcionários ao local para resolver a situação. No entanto, e como constatámos, os funcionários colocaram pedregulhos para impedir estacionamento e passagem naquele local, não mais lá voltando. O projeto de loteamento previa a continuidade da rua para circundar todo o parque industrial. Até ao momento, nada foi feito.

Comentários

topo