Viana do Castelo

Politécnico de Viana do Castelo disponibiliza consultas para a comunidade

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Consultas de Terapia Sistémica (familiar, casal ou individual), Medicina Chinesa e Acupuntura, Reflexologia e bem-estar e Meditação estão disponíveis na Unidade de Intervenção em Saúde da Escola Superior de Saúde (ESS) do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC).

A Unidade de Intervenção em Saúde surge na continuidade da Unidade de Intervenção Sistémica (UIS) que alarga agora o campo de intervenção, tendo por objetivo “disponibilizar recursos em saúde para dar resposta aos pedidos de alunos, de docentes e de funcionários do IPVC, bem como das suas famílias, e ainda à comunidade em geral”, justifica a subdiretora da ESS-IPVC, Salomé Ferreira.

As consultas são realizadas nas instalações da ESS-IPVC, em Viana do Castelo, e toda a comunidade pode aceder a estes serviços, mediante uma tabela de preços fixa, necessitando apenas de agendar uma consulta.
“Todas estas abordagens são opções terapêuticas de entre os diversos sistemas de cuidados de saúde que podem ser usadas de forma isolada ou conjuntamente com as formas terapêuticas convencionais”, esclarece a subdiretora da ESS-IPVC.

Com a abordagem em Terapia Sistémica, conta Salomé Ferreira, pretende-se “promover o bem-estar e a qualidade de vida das famílias, prevenir comportamentos de risco e otimizar o desenvolvimento pessoal e familiar, nomeadamente em situações de perturbação da dinâmica familiar/casal, conflito, dificuldades de comunicação, doença crónica e situações de luto”.

A Intervenção Sistémica, ao facilitar a comunicação entre os diversos subsistemas familiares, tem como objetivo “ajudar a família a reorganizar-se e a alterar os padrões de funcionamento anteriores”, garante a subdiretora da ESS-IPVC, evidenciando aqui algumas das disfunções que envolvem o sistema familiar/casal, nomeadamente quando a família se encontra com dificuldades em adaptar-se a uma nova fase do seu desenvolvimento, como acontece durante a adolescência ou devido a acontecimentos geradores de stress, como por exemplo, situações de divórcio ou pós-divórcio.

A consulta pode realizar-se com um ou vários elementos da família que estejam disponíveis para a terapia e para efetuarem mudanças.
Já com a abordagem da Medicina Chinesa e Acupuntura, a Unidade de Intervenção em Saúde quer intervir ao nível energético no sentido de “solucionar e prevenir desequilíbrios com reflexo na qualidade de vida, saúde e bem-estar”, defende.

Salomé Ferreira adianta ainda que nas consultas de Reflexologia o que se pretende é “desenvolver as potencialidades da massagem das zonas reflexas por forma a restaurar e promover o equilíbrio energético no sentido de controlar e/ou prevenir o aparecimento de doenças”. A reflexologia, continua a subdiretora, consiste numa massagem terapêutica que identifica no pé, na mão e no pavilhão auricular externo determinadas zonas e pontos reflexos que correspondem às diferentes partes que compõe o corpo humano.
Entretanto, na abordagem da Meditação “são desenvolvidas competências ao nível da mente, utilizando um pensamento adequado que permite aumentar o contacto consigo próprio, rumo a um estado mais profundo de bem-estar e saúde”.
A meditação, acrescenta Salomé Ferreira, “consiste numa técnica mental simples, capaz de nos conduzir a um estado que nos renova no nível mais profundo, permitindo a intervenção em/pós situações promotoras de stress levando à dissolução natural do mesmo”.

Comentários

topo