Vila Verde

Trovar D’Alma lançam um tema original em forma de lembrança natalícia

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Os Trovar D’Alma apresentam mais um tema original em forma de lembrança natalícia de seu nome “A Ribeira”. Trata-se de um tema inédito, com letra de Dina Bicas e música de Armando Machado.

Encenado em jeito de romance, na expressão singela e simples do (entendimento) amor é um tema bucólico onde a natureza serve de presépio, e a melodia é um louvor ao Criador. Outros trabalhos estão na forja para serem lançados no início do próximo ano.

O Grupo Trovar d’Alma

O Grupo Trovar d’Alma surgiu ocasionalmente após muitos encontros musicais entre os seus participantes, alguns com grande historial no contexto musical. Foi então, tempo para outros nomes, e variações na sua composição.

O gosto pela poesia e os pequenos espetáculos que se foram fazendo à época motivaram o seu nome, que mais não é do que colocar Alma, empreender, gostar, vibrar, sentir. Sentir o texto enquanto suporte da música e vice-versa! Assim nasceu há cerca de dez anos e assim se lhe foi dando forma. Muitos ensaios pelo meio, muita amizade e diversão.

Os Trovar d’Alma sediam-se no Concelho de Vila Verde, onde têm o seu estúdio de gravação e onde se têm produzido muitos dos trabalhos apresentados em áudio e vídeo nas redes sociais, onde está plasmada a sua página oficial e o seu facebook.

Os temas são agora originais, com arranjos e orquestração do professor Armando Machado e com textos concebidos pela vocalista. Mas nem sempre assim foi! A raiz da recriação dos temas foi sempre a orientação dada pela música tradicional e popular de expressão portuguesa.

E mesmo no contexto atual, à distância foi possível criar e apresentar trabalhos inéditos, como o enorme sucesso da música de Natal – “Os pezinhos do Menino”, que granjeou inúmeras partilhas e muitos comentários favoráveis.

Muitos trabalhos estão na forja, alguns mesmo a serem brevemente finalizados e a divulgar na Página que tem aumentado nos últimos tempos o seu número de amigos e seguidores.

A harmonização dos instrumentos deve-se ao facto de serem preferidos e utilizados os mais tradicionais, com a integração sempre constante das guitarras clássicas, piano e percussão. Antevê-se a possibilidade muito forte de num breve trecho serem construídos outros instrumentos de cordas pelo diretor artístico, já referido, com larga experiência de lutier.

Nos espetáculos é criada uma enorme empatia com o público e em função do contexto. O trabalho tem sido amplamente reconhecido. Contamos ocasionalmente com músicos convidados, sempre que oportuno, não faltando disponibilidade para esta participação, dado o reconhecimento do bom trabalho realizado. Os Trovar D’Alma tiveram participações em espetáculos marcantes, dos quais se destacam:

Namorar Portugal, Festa das Colheitas, do Minho para a Europa, Santo António (Vila Verde),em colaboração com a Academia de Música de Vila Verde, Festa da Família, Vários concertos de Natal e de receção aos participantes no programa Erasmus, Feira Quinhentista, vários concertos de solidariedade, lançamento de livros de escritores locais.

Comentários

topo