Vila Verde

Júlia Fernandes ‘não teve direito a discurso’ na tomada de posse dos Bombeiros

Partilhe esta notícia!

A lista liderada por Paulo Renato Rocha venceu as eleições para a direção da Associação Humanitária dos Bombeiros de Vila Verde com 92% dos votos, numa eleição que contou com apenas uma equipa concorrente, após irregularidades detetadas em outra candidatura apresentada, situação que motivou críticas ao atual presidente.

Ao que apurou o Semanário V, 223 sócios exerceram o direito de voto , no auditório daquela instituição sediada no centro da vila, tratando-se de uma das mais concorridas eleições com lista única.

Tomada de posse ‘recheada de polémica’

A tomada de posse de Paulo Renato ficou marcada por alguns momentos polémicos e pela ausência de apoio e felicitações por parte do Município de Vila Verde a Paulo Renato, tal como sucedeu com outras direções vencedoras. Júlia Fernandes, atual presidente da Câmara de Vila Verde, não fez o ‘habitual discurso’ e, segundo apurou o Semanário V, seria por causa da pandemia.

Face à ausência de Mota Alves, por motivos de saúde, e ‘os trabalhos’ foram levados a cabo por Paulo Renato que também não proferiu palavras para os presentes.

Uma cerimónia que, segundo adiantou ao V um elemento presente, tornou ainda mais difícil as relações entre a Câmara Municipal de Vila Verde e os Bombeiros de Vila Verde.

Oposição ainda não digeriu ‘eleições’

Em comunicado a que teve acesso o Semanário V, um grupo de apoiantes da lista invalidada nas eleições passadas, onde se incluem atuais bombeiros da corporação, a direção é acusada de ter os balneários “sem condições nenhumas” e de manter material antigo, como colchões “com mais de uma década”, ainda em uso.

Queixam-se também de falta de condições, tanto ao nível dos equipamentos de proteção como das viaturas. Asseguram ainda que o socorro está comprometido por falta de meios humanos e materiais.

Comentários

topo