Viana do Castelo

Ex-aluna do IPVC de Viana cria carteira para alertar para a desigualdade salarial

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Nova peça foca-se na desigualdade salarial, evidenciando o ano (2157) em que este problema chegará ao fim, segundo um estudo do World Economic Forum.

Depois de ter estudado Design do Produto na Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) no Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC) e ter trabalhado em marketing digital durante quatro anos, Eliana Barros decidiu arriscar e criar em março do ano passado a própria marca com base na sustentabilidade. Inspirada no estilo minimalista francês, a ex-aluna do IPVC lançou a Ownever e o último modelo criado acaba de ganhar duas medalhas nos Prémios Lusófonos da Criatividade.

A propósito do Dia Nacional da Igualdade Salarial, que se celebra em novembro, Eliana Barros decidiu criar um novo modelo para “alertar” para esta problemática. “Segundo um estudo do World Economic Forum apenas existirá paridade entre salários de homens e mulheres em 2157”, evidencia a ex-aluna do IPVC, referindo que foi essa data que inspirou a nova carteira. “Nós já não estaremos cá quando se conseguir atingir essa igualdade e isso é assustador e muito triste”, confessa a jovem, admitindo que criar esta mala com este simbolismo foi “muito importante”.
Seguindo a base de trabalho da empresa, a nova carteira tem 135 anos de garantia, precisamente os anos que faltam para atingirmos a igualdade salarial. “A marca aposta em carteiras de luxo. Todas as malas da Ownever são criadas por mãos de artesãs portuguesas, algo que também tem grande importância para mim”, assegura Eliana Barros, que aposta num design intemporal.
O modelo, feito à mão em Portugal, segue o padrão eco-friendly definido na Ownever, com recurso a bio-leather. A carteira, que pode ser comprada no site da marca por 395€, foi premiada nos Prémios Lusófonos da Criatividade, um festival internacional, sediado em Portugal, que premeia os melhores dos mercados publicitários e de comunicação dos países de língua oficial portuguesa. “Foi uma bela surpresa para mim ganhar uma medalha de prata na categoria de Design de Produto e uma medalha de bronze na categoria de Responsabilidade Social/Ambiental da empresa”, sublinha a empresária, confessando que estes prémios são “o reconhecimento do trabalho feito” e um indicador que está “no caminho certo”. Receber o prémio na área de formação deixa a ex-aluna da ESTG-IPVC “orgulhosa” do percurso feito no Politécnico de Viana do Castelo.

Ownever considerada como uma tendência 2022 em “Lifecycle Luxury”

A portuguesa Ownever foi considerada ainda pela agência SpringWise como uma tendência 2022 em “Lifecycle Luxury” pela sua sustentabilidade e slow fashion, a par de marcas internacionais como a Levis ou a Rubelli. “Ser um exemplo na área do luxo e da sustentabilidade é uma grande homenagem à Ownever. É um excelente reconhecimento do trabalho e, por isso, o balanço destes primeiros meses da marca é muito positivo”, assume Eliana Barros, revelando que estão a ser preparadas edições especiais para este ano. Sem querer avançar pormenores, a jovem empresária adianta que os próximos modelos vão continuar na mesma linha. “Mais do que tudo são os nossos valores e só faz sentido ser assim. É mais fácil trabalhar naquilo em que acreditamos”, confirma.

Comentários

topo